sábado, 9 de novembro de 2019

Após três dias desaparecido, idoso é encontrado sem vidas no município de Coxixola na Paraíba

Um morador que estava há três dias desaparecido foi encontrado sem vidas na manhã de ontem sexta-feira(08), nas proximidades de sua residência na comunidade do Serrote Apertado, zona rural do município de Coxixola, Cariri da Paraíba.

De acordo com informações, o Senhor identificado por Sebastião Bezerra da Silva, mais conhecido popularmente por Binha foi encontrado em um riacho e o seu corpo já estava em estado de decomposição.

O Instituto de Polícia Cientifica (IPC) foi acionado para a remoção do corpo que foi levado para a perícia em Campina Grande. Ainda não se sabe os reais motivos que teriam levado a morte do caririzeiro.

CRIMINOSOS EXPLODEM COOPERATIVA DE CRÉDITO NO SERTÃO DE PERNAMBUCO

Marcelo Patriota

Uma agência de cooperativa de crédito foi alvo de marginais neste sábado (09), na cidade de Itapetim, no Sertão de Pernambuco. Os criminosos explodiram o local durante a madrugada. Os moradores acordaram com o barulho.

O Batalhão de Operações Especiais (Bope) foi acionado para desativar explosivos não detonados deixados no local. Após o ataque, os bandidos fugiram pela PE-263. Eles jogaram grampos na rodovia para dificultar perseguição policial.

Exposição retrata a história da “Feira da Sulanca” em Santa Cruz em Santa Cruz do Capibaribe

A partir do próximo domingo (10), será realizada, no hall de entrada do Museu da Sulanca, no Moda Center Santa Cruz, uma exposição sobre a história e evolução das feiras de confecções em Santa Cruz do Capibaribe. Trata-se da exposição “Nós Sulanca”, um olhar diferenciado sobre as personalidades e o empreendedorismo no município nas últimas décadas.


Idealizada pelo estudante de biblioteconomia, Adelmo Teotônio (curador da exposição), a exposição conta com diversos depoimentos, fotos, esculturas e outras peças que fazem parte dessa evolução; acervo que, como ele mesmo conta, foi reunido com muito carinho ao longo de três meses de pesquisas.


 “É uma exposição que reconta essa história, que traz a voz para personalidades desse momento histórico e faz um paralelo entre a palavra ‘Nós’, como sendo esse cruzamento de histórias, fatos e memórias coletivas; com o nome ‘Sulanca’, que está em nossas raízes, no nosso DNA de empreender. Esse acervo é uma forma de trazer à tona as memórias dessas personalidades, sejam elas carroceiros, costureiras, vendedores e outras pessoas que fazem parte de tudo isso”, pontuou.

Localizado no Centro de Eventos do Moda Center, o Museu da Sulanca é um espaço projetado para contar a história da economia confeccionista do agreste, desde o seu surgimento. A exposição “Nós Sulanca” estará aberta à visitação pública, de domingo a terça-feira, até o dia 10 de dezembro. Excursões e escolas devem agendar a visita pelo número: (81) 3759-1000 ou pelo e-mailmuseu@modacentersantacruz.com.br.

Shareaholic