segunda-feira, 19 de novembro de 2018

Pai é preso acusado de assassinar sua filha de 2 meses em Belo Jardim, PE



Era por volta das 11h40, da manha  deste domingo dia 18 de novembro de 2018, que policias da ROCAM que estava na operação Sossego, na cidade de Belo Jardim, no Agreste de Pernambuco. O efetivo foi acionado, para seguir até o Hospital Júlio Alves de Lira para averiguar a entrada de um casal com uma criança recém nascida que veio a óbito, sobre suspeita de sufocamento. Ao chegar no local foi constatado o óbito da criança, quando indagada sobre a causa da morte, a mãe alegou que o pai teria sufocado o recém nascido, e agredido a Mãe e ameaçado de mata-lá caso falasse a verdade. Diante o exposto, as partes foram conduzidas para a delegacia de Belo Jardim para serem tomadas as medidas cabíveis.

Ao chegar na delegacia o mostro, JOSINALDO LUIZ DA SILVA BERNARDO, admitiu ter matado a criança e deu detalhe de como foi. Ao dar banho na criança Josinaldo teria forçado o pescoço dela, ainda segundo o delegado João Carlos Oliveira com dados retirados do depoimento que o acusado prestou a polícia. Ele afirmou que tinha raiva da bebê, ciúme, disse tomar remédio controlado e ter problema mental, afirmou o delegado.

Homem é assassinado a pedradas em rodovia entre as cidades de Livramento e Taperoá


Um homem foi encontrado morto na madrugada deste domingo(18), na PB 238, no trecho que liga as cidades de Livramento e Taperoá, no cariri paraibano.

O homem, ainda não identificado foi assassinado brutalmente a pedradas e seu corpo estava caído no meio da rodovia, ao lado  do corpo encontrava-se, uma grande pedra pontiaguda, ensanguentada, que provavelmente, pode ter sido usada para tirar a vida do cidadão.

A cena do homem vestido de short e camiseta, são cenas digna de verdadeiro filme de terror. A polícia agora vai trabalhar para buscar informações e desvendar o autor do crime brutal.


Fonte: Portal de Olho no Cariri

Idoso de 108 anos é esfaqueado após reagir a assalto em Itamaracá

O idoso foi levado para o Hospital Miguel Arraes (HMA), onde recebeu atendimento médico Foto: Pixabay

Um idoso de 108 anos levou uma facada na manhã deste domingo (18) após tentar impedir um assalto à sua residência, no bairro da Baixa Verde, na Ilha de Itamaracá, Região Metropolitana do Recife (RMR). Segundo a polícia, o assaltante desferiu o golpe de faca no ombro do idoso.

A vítima foi levada por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) para o Hospital Miguel Arraes (HMA), em Paulista, também na RMR. Na unidade de saúde, o idoso recebeu atendimento médico e passa bem. De acordo com o posto policial do HMA, não foi preciso realizar procedimento cirúrgico na vítima, Na ação, o assaltante conseguiu leva um aparelho celular antigo do idoso. O suspeito não foi localizado pela polícia.



Com informações da Central de Apuração/ SJCC

Jovem é morto a facadas em Bezerros, PE

O crime foi próximo a um 'Cerâmica' que fica na rua Padre Anchieta, na cidade de Bezerros no Agreste de Pernambuco.

De a condo com as informações o jovem foi morto a facadas, O Samu foi acionado mas ao chegar no local o jovem identificado por Jonathas já estava morto, com a chegada da Polícia o local foi isolado para as medidas de investigação. A motivação será investigada pela polícia, o corpo foi encaminhado para o IML na cidade de Caruaru.

JOVEM É ASSASSINADO A FACADAS EM CAETÉS


Um rapaz foi assassinado na manhã deste domingo (18), em Caetés, no Agreste de Pernambuco.

A vítima foi identificada como Elvis Clepton Soares Pessoa, de 23 anos, ele estava na Rua Ilda de Lima Sampaio, quando foi esfaqueado por um homem até o momento não identificado, ainda segundo informações a vítima teria se envolvido em uma confusão na noite deste sábado.

Elvis chegou a ser socorrido para o Hospital Regional Dom Moura, recebeu os primeiros socorros mais não resistiu, o corpo foi encaminhado para o Instituto de Medicina Legal (IML) de Caruaru, o caso será investigado pela Delegacia de Caetés.

Brasil concentrou 40% dos feminicídios da América Latina em 2017


A cada dez feminicídios cometidos em 23 países da América Latina e Caribe em 2017, quatro ocorreram no Brasil. Segundo informações da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal), vinculada à Organização das Nações Unidas (ONU), ao menos 2.795 mulheres foram assassinadas na região, no ano passado, em razão de sua identidade de gênero. Desse total, 1.133 foram registrados no Brasil. 

O levantamento também ranqueia os países a partir de um cálculo de proporção. Nessa perspectiva, quem lidera a lista é El Salvador, que apresenta uma taxa de 10,2 ocorrências a cada 100 mil mulheres, destacada pela Cepal como "sem paralelo" na comparação com o índice dos demais países da região. 

Em seguida aparecem Honduras (5,8), Guatemala (2,6) e República Dominicana (2,2) e, nas últimas posições, exibindo as melhores taxas, Panamá (0,9), Venezuela (0,8) - também com uma base de 2016, e Peru (0,7). Colômbia (0,6) e Chile (0,5) também apresentam índices baixos, mas têm uma peculiaridade, que é o fato de contabilizarem somente os casos de feminicídio perpetrado por parceiros ou ex-parceiros das vítimas, chamado de feminicídio íntimo. 

Totalizando um índice de 1,1 feminicídios a cada 100 mil mulheres, o Brasil encontra-se empatado com a Argentina e a Costa Rica. 
Adequação das leis 

Ao divulgar relatório na ultima quarta-feira (15), a Cepal ressaltou que a gravidade do feminicídio já fez com que 18 países latino-americanos tenham modificado suas leis para que o crime seja assim tipificado, o que implica no agravamento da pena.

Os países que já promoveram essa alteração em sua legislação foram os seguintes: Costa Rica (2007), Guatemala (2008), Chile (2010), El Salvador (2010), Argentina, México (2012), Nicarágua (2012), Bolívia (2013), Honduras (2013), Panamá (2013), Peru (2013), Equador (2014), República Dominicana (2014), Venezuela (2014), Paraguay (2016) e Uruguai (2017). No Brasil, a caracterização desse tipo de crime foi detalhada em 2015, com a lei 13.104, que classificou o feminicídio como crime hediondo. 

Veiculado a poucos dias do Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra a Mulher, o comunicado da Cepal também assinala como um dos principais desafios para se abordar corretamente o tema a compreensão de que todas as formas de violência que afetam as mulheres estão determinadas, para além de sua condição sexual e de gênero, por diferenças econômicas, etárias, raciais, culturais, de religião e de outros tipos.

Na avaliação da comissão, esse discernimento permitiria que as políticas públicas considerassem a diversidade das mulheres e as diversas formas de violência direcionada a essa parcela da população. 

Segundo o Instituto Patrícia Galvão, as diretrizes que norteiam as classificações aplicadas na América Latina para se tratar de feminicídio abarcam a diversidade de contextos dessas mortes. Embora distintas, as 13 linhas revelam que o desprezo ou a discriminação da vítima devido à sua "condição de mulher" são componentes constantes em todas ocorrências.

São relacionados, por exemplo, além do feminicídio íntimo, o feminicídio sexual sistêmico, em que a vítima também é sequestrada e estuprada, e o feminicídio lesbofóbico ou bifóbico, configurado quando a vítima é bissexual ou lésbica e é assassinada porque o agressor entende que deve puni-la por sua orientação sexual. 



Fonte: Agência Brasil

Shareaholic