terça-feira, 21 de novembro de 2017

Operação que investiga desvio de recursos para enchentes, prende 8

Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem.

A Polícia Federal cumpriu nesta terça-feira (21)nove mandatos de prisão preventiva e dois de prisão domiciliar dentro da Operação Torrentes – investigação sobre desvios de verbas destinadas a Mata Sul do estado após às enchentes de 2010. Solicitadas pelo Ministério Público Federal (MPF), foram realizadas devido ao que a PF denominou como “novos fatos surgidos dentro da investigação”. Segundo a polícia uma análise de documentos apreendidos foi fundamental para a expedição do mandato.

Os presos passaram hoje pelas audiências de custódia realizadas na 36ª Vara da Justiça Federal em Pernambuco (JFPE). De acordo com a decisão do juiz federal Rafael Chalegre do Rêgo, eles fora encaminhados para o Cotel em cumprimento à ordem de prisão preventiva proferida pela juíza federal Carolina Souza Malta. Daniel Pereira da Costa Lucas encontra-se foragido com mandando de prisão pendente de cumprimento.


Investigações da Operação Torrentes iniciaram-se em 2016

A Operação Torrentes foi deflagrada no dia nove de novembro deste ano. Segundo uma nota da PF, a investigação visa desarticular um esquema de desvio de recursos públicos, fraudes em licitações e corrupção de servidores públicos vinculados à Secretaria da Casa Militar do Estado de Pernambuco.

Confira um trecho.“A investigação teve início no ano de 2016, a partir de um relatório elaborado pela Controladoria-Geral da União com relação aos gastos efetuados pela Casa Militar na cifra de R$ 450 milhões que lhe foram repassados pela União na denominada “Operação Reconstrução” para assistência às vítimas das enchentes que devastaram diversos municípios da mata-sul pernambucana em junho de 2010. Naquela ocasião verificou-se que a depender do objeto licitado, funcionários da Secretaria da Casa Militar direcionavam os contratos a diversos grupos empresariais em troca de contrapartidas financeiras. Também foram verificados indícios de superfaturamentos e inexecução de contratos.


Fonte: Rádio Jornal Recife

AGRICULTOR É ENCONTRADO MORTO NA VILA NEVES, EM JUCATI

Um agricultor foi encontrado morto no início da tarde desta terça-feira (21), na Vila Neves, em Jucati, no Agreste de Pernambuco.

O corpo de Jaime Batista da Silva, de 56 anos, foi encontrado em uma área de mata nas proximidades da BR-423, de acordo com informações ele tinha histórico de ingestão de bebida alcoólica e essa pode ter sido a causa da morte.

O corpo encaminhado para o Instituto de Medicina Legal (IML) de Caruaru, o laudo do IML vai esclarecer a causa da morte.

Tribunal reduz condenação de Eduardo Cunha na Lava Jato

Foto: Agência Brasil

O Tribunal Regional Federal (TRF) da 4ª Região, sediado em Porto Alegre, decidiu nesta terça-feira (21) reduzir a condenação do ex-deputado Eduardo Cunha na Operação Lava Jato. A Oitava Turma reduziu a pena de 15 anos e quatro meses de prisão para 14 anos e seis meses pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e evasão de divisas. Também ficou decidido pelo cumprimento imediato da pena após o julgamento de mais um eventual recurso.

Atualmente, ele está preso preventivamente no Complexo-Médico Penal (CMP), na região metropolitana de Curitiba. O tribunal julgou a apelação de Eduardo Cunha, que tentava reverter a sentença do juiz federal Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal em Curitiba, que o condenou pelo recebimento de 1,3 milhão de francos suíços em propina em um contrato para exploração da Petrobras no campo de petróleo no Benin, na África.

Prisão temporária em Brasília

Nas últimas semanas, Cunha ficou preso temporariamente em Brasília em função dos depoimentos que estava prestando em outro processo oriundo da Lava Jato no Distrito Federal. No entanto, após o interrogatório, seu retorno a Curitiba foi determinado pela Justiça.


Fonte: Agência Brasil

Contrariando decisão da Alerj, TRF2 ordena nova prisão de Picciani, Melo e Albertassi

Foto: Agência Brasil

O Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2) expediu uma nova ordem de prisão e afastamento do cargo para os deputados estaduais Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi. Em sessão extraordinária ocorrida nesta terça-feira (21), os desembargadores da 1ª Seção acompanharam, por unanimidade, o voto do relator, desembargador Abel Gomes.


Outro ponto criticado pelos magistrados foi o impedimento de entrada na Alerj, durante a votação, de uma oficial de Justiça que trazia liminar obrigando a abertura das galerias da Casa a manifestantes.

Intervenção federal

Abel Gomes também defendeu que se oficie ao presidente do TRF2, desembargador André Fontes, caso a ordem não seja cumprida, um requerimento de encaminhamento ao Supremo Tribunal Federal (STF) de pedido de intervenção federal no estado do Rio de Janeiro.

Votaram com o relator os desembargadores Messod Azulay, Paulo Espírito Santo, Simone Schreiber e Marcelo Granado. O presidente da 1ª Seção, desembargador Ivan Athié, não votou.

Picciani, Melo e Albertassi ficaram presos cerca de 24 horas, no âmbito da Operação Cadeia Velha, por recebimento de propinas de empresas de ônibus, tendo cada um deles, individualmente, se apresentado para a Polícia Federal no final da tarde de quinta-feira (16) passada, e foram soltos no final da tarde do dia seguinte, após a decisão da Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro.

Após a votação da Alerj, o TRF2 determinou o bloqueio de R$ 270 milhões, em dinheiro e bens, equivalente ao que teriam recebido para favorecer as empresas. Os três parlamentares entraram com pedido de licença até fevereiro. Os advogados dos deputados não tiveram a palavra para fazer sustentação oral.

Outro lado

O advogado Nélio Machado, que defende Picciani, considerou a decisão do TRF2 "ilegal, inconstitucional e infeliz". Ele disse que irá recorrer à instância superior. As demais defesas saíram da sessão do TRF2 sem falar com a imprensa.

MULHER É MORTA A FACADAS PELO COMPANHEIRO, EM SÃO BENTO DO UNA

Uma mulher foi assassinada pelo companheiro na tarde desta segunda-feira (20), em São Bento do Una, no Agreste pernambucano.

O crime aconteceu na residência que o casal morava na Travessa Joaquim Nabuco, a vítima Riviane de Almeida Silva, de 25 anos, se desentendeu com Claudiano Araújo da Silva, de 32 anos, ele armou-se com uma faca peixeira e partiu para agredir a vítima que gritava pedindo socorro, após matar a mulher, Claudiano jogou a faca em um matagal e acionou a polícia.


Com a chegada dos policiais militares a resideência, o homem disse que a mulher teria cometido suicídio, questionado ele começou a se contradizer, populares informaram a polícia terem visto ele deixar a residência e jogar um objeto, buscas foram realizadas e encontrada a faca usada para o cometimento do crime.

Claudiano terminou revelando que matou a mulher e a motivação seria a descoberta de uma traição, ele recebeu voz de prisão, e foi encaminhado para audiencia de Custódia, o corpo da vitima foi encaminhado para o Instituto de Medicina Legal (IML) de Caruaru.

Gestores visitam projetos de avicultura caipira no Cariri

O setor da avicultura caipira é destaque na Paraíba, como cadeia produtiva com 800 produtores associados de 37 associações e cinco cooperativas, abatendo 200 mil cabeças de aves por ano, segundo Associação Brasileira da Avicultura Alternativa (Aval). Para conhecer as técnicas que são empregadas no Estado gerando excelentes resultados e levar este conhecimento para as regiões de origem é que o Sebrae promove missões técnicas. Como é o caso de um grupo de gestores de São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Bahia, que está na Paraíba até a próxima sexta-feira (24) conhecendo o Estado e suas experiências com a atividade.

Campina Grande, Queimadas, Caturité, Pocinhos, Sumé e Monteiro receberão secretários de Agricultura e vice-prefeitos de municípios dos Estados visitantes. A Cooperativa de Avicultores de Galinha Caipira e Agricultura Familiar do Estado da Paraíba LTDA (Coopeaves) acompanhará o grupo e o levará a seus projetos. Conforme o gestor do projeto Sertão Empreendedor do Sebrae Paraíba, João Bosco da Silva, o momento é de reconhecimento pelo esforço empregado pela instituição no projeto da Avicultura Caipira, que tem dois eixos no Estado e existe desde 2004.

“Esta visita técnica é uma forma de reconhecimento de que estamos no caminho certo com este trabalho. Quando vemos pessoas do Sul e do Sudeste vindo ao Nordeste para pegar as informações e as técnicas que aplicamos aqui na avicultura caipira, é porque nossa forma de atuação está coerente com os preceitos exigidos atualmente na agricultura familiar. Nós juntamos os produtores em cooperativas e conseguimos este destaque, os coletivos deram certo, principalmente na geração de renda dos cooperados”, falou.

O vice-prefeito de Santo Augusto (RS), Marcelo Both, disse que quer melhorar a avicultura caipira na cidade onde ele mora, que ainda não funciona em cadeia produtiva. “A experiência da Paraíba vai nos inspirar a construir nosso sistema como uma alternativa agrícola viável diante do nosso atual problema que é a falta de espaço. Com o aumento do cultivo da soja e da bovinocultura, a cidade, que atende a mais dez municípios a sua volta, tem que investir numa atividade menos agressiva, mas lucrativa. A avicultura me parece uma boa alternativa”, disse.

Já a diretora técnico-científica da Aval, Miwa Yamamoto, disse que veio orientar os gestores públicos a seguirem os novos caminhos legislativos da avicultura. “Vamos criar eventos, a partir de 2018, para ampliar as capacitações para os produtores de todo o Brasil. Queremos levar os interessados nesta área para onde as leis vão trabalhando. A Paraíba tem um histórico de comprometimento com a atividade, principalmente dos governos que apoiam”, ressaltou.

João Bosco lembrou que, durante esses 13 anos de trabalho do Sebrae com a avicultura, os produtores foram bem capacitados, para evoluir cada vez mais, tanto na produção, em criar e abater corretamente, como na obtenção do lucro. Segundo ele, os grupos de avicultores ainda têm a aprender, mas é só questão de tempo para serem os mais experientes com esse tipo de criação. “Trabalhar com essas aves que tem um diferencial, na carne e no ovo, é muito significante, porque eles estão hoje no topo dos melhores alimentos produzidos”, disse.

Cenário – Atualmente, o Estado possui 92% dos agricultores familiares trabalhando com a avicultura alternativa ou caipira, segundo o conselheiro fiscal da Aval na Paraíba, Vicente de Assis Ferreira. Ele afirmou que o produtor de aves caipiras consegue viver com mais de um salário mínimo na Paraíba. Dos 800 associados deste setor, quatro mil famílias estão vivendo da atividade, o que dá mais de dois associados ou cooperados por família. O associativismo é a união de vários produtores para plantar, criar, abater e vender de maneira profissional e qualificada.

Das cinco cooperativas existentes no Estado, três já são de avicultores caipiras. Eles criam o frango em semi-confinamentos, onde as aves andam, ciscam, comem insetos, crescendo por mais tempo e com melhor qualidade de carne e ovo do que o frango criado no sistema industrial. O projeto do Sebrae Paraíba atende atualmente dez cidades do Agreste e Cariri. Já foi implantado um abatedouro, na cidade de Monteiro, que abate cerca de três mil aves num dia, além de associações e cooperativas de produtores, inclusive com orientação e capacitação.

Programação

Terça-feira (21) – 10h – recepção no Sebrae de Campina Grande-PB, reunião com os cooperados na COPRAVIDA, em Queimadas-PB, e visita a unidades de produção de ovos e frango caipira. Após o almoço, visita a Associação de Produtores de Frango Caipira da Cidade de Caturité-PB e bate-papo com pequenos produtores;

Quarta-feira (22) – Pela manhã, visita à Associação dos Criadores de Frango Caipira de Pocinhos-PB, reunião com os produtores e visita às unidades de produção. Em Sumé-PB, participarão de uma palestra sobre pesquisa de “Arraçoamento para frango caipira”, com representante da UFCG. Deslocamento para Monteiro-PB;

Quinta-feira (23) – Pela manhã, visita ao abatedouro de frango caipira e a produtores de ovos e frango caipira em Monteiro;

Sexta-feira (24) – 9h – reunião no Sebrae de Monteiro-PB, onde serão apresentadas todas as etapas necessárias para a implantação do Programa de Avicultura Alternativa, com a participação da Secretaria de Agricultura do Estado da Paraíba, prefeitura de Monteiro-PB, prefeitos e vereadores da região, instituições governamentais, Sebrae, Coopeaves, associações e cooperativas. Às 11h, visita à feira do Empreender Paraíba.


Com Ascom

Shareaholic