quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Delegacias móveis reforçarão a segurança do Polo de Confecções para as feiras de final de ano

Na tarde desta quinta-feira (16) uma equipe do corpo policial das policias Civil e Militar se reuniu com representantes do Polo de Confecções para definir os detalhes finais para a Operação Feira Forte deste final de ano. A ação foi cobrada em outubro em encontro com o Secretário Estadual de Defesa Social, Antônio de Pádua, e entidades comerciais do Agreste.


No encontro, ficou acordada a disponibilização de dois ônibus equipados com delegacia móvel, um para Santa Cruz do Capibaribe e outro para Toritama que reforçarão a segurança dos centros de compras. “Cada unidade terá um delegado civil, escrivão e uma equipe de policiais que darão todo o suporte para a operação, além do patrulhamento das rodovias PE-160, PE-90 e BR-104 garantindo a segurança dos compradores também no trajeto aos parques.

O Governo de Pernambuco deverá ainda comprar as folgas (PJES) de uma equipe de policiais para garantir um efetivo satisfatório à operação.


De acordo com o delegado Dr. José Rivelino, responsável pela Diretoria Integrada do Interior (Dinter 1), a ação vai facilitar o trabalho policial nas feiras de fim de ano. “A operação visa o combate ao crime violento contra o patrimônio. Santa Cruz e Toritama é uma área que a gente está monitorado. A ação deverá coibir dar a sensação de segurança para população que circula entre essas cidades. Vai estar lá um efetivo policial justamente pra ficar responsável pelos procedimentos que ocorrem nos pátios de feira e vai facilitar o acesso para registro de boletins de furtos e extravios de documentos, ou os procedimentos mais graves que podem gerar uma prisão em flagrante”, destacou.

Além do Dr. Rivelino, integram o comando da operação os delegados Dr. Sérgio Moura (Gcoi 1), Dr. Júlio Porto (17º Desec) e Dr. Flaubert Leite (128º DP), e o subcomandante do 24º Batalhão da Polícia Militar, Major Neto.

Para o diretor da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Santa Cruz do Capibaribe, Bruno Bezerra, é fundamental a parceria entre as instituições e o poder público. “Que a gente enquanto instituições possamos contribuir ainda mais, tivemos uma reunião há cerca de um mês atrás com o secretário e apresentamos todos os dados.

O síndico do Moda Center Santa Cruz, Alan Carneiro, agradeceu a ação. “A gente agradece em nome do Moda Center e nos colocamos a disposição. Acho que isso será histórico para a região que nunca visualizou esse ambiente do ponto de vista de feira. Vamos fazer o possível para colaborar para que tenhamos essa operação”.

Representando o Parque das Feiras de Toritama, Jean Menezes destacou a união na concretização do reforço policial. “Essa parceria só tem a se fortalecer mais ainda e vai servir de exemplo para que no futuro a gente continue fazendo isso” frisou.

Em seguida, a comitiva visitou o Moda Center Santa Cruz para conhecer o local onde deverá ser instalada uma das delegacias móveis.


Também participaram da reunião Valdir Oliveira, presidente da CDL de Santa Cruz do Capibaribe.

Lei obriga agências bancárias a garantir atendimento em Libras e entrada de cão-guia em Pernambuco

Foto: Divulgação.

Uma nova lei obriga as agências bancárias localizadas no estado de Pernambuco a garantir atendimento em Língua Brasileira de Sinais (Libras) para pessoas com deficiência auditiva. No caso de deficientes visuais, o estabelecimento ainda tem que permitir a entrada e a permanência de cão-guia, solicitando, apenas, a carteira de vacinação atualizada do animal.

A norma também contempla pessoas com outras deficiências, com mobilidade reduzida e portadoras de doenças graves. Publicada no Diário Oficial do Legislativo desta quarta-feira (15), a lei de número 16.203 de 2017 e já se encontra em vigor.

Pessoas portadoras de doenças graves também passam a ter atendimento prioritário garantido. Para isso, elas precisam apresentar o laudo médico assinado contendo sua condição.

As agências terão que afixar um cartaz com tais medidas em um local visível no estabelecimento. As informações precisam estar escritas em negrito. “Pessoas com deficiência, mobilidade reduzida, inclusive idosos, gestantes, lactantes, pessoas com criança de colo e obesos, ou diagnosticadas com doenças graves, devidamente comprovadas por meio de laudo médico, têm direito a tratamento diferenciado e atendimento preferencial”, deve conter o texto.

O banco que não cumprir a lei será advertido. Ele será multado no valor de R$ 1 mil a R$ 5 mil, levando em consideração o porte dele e as circunstâncias da infração. Em caso de reincidência, o valor da penalidade será aplicado em dobro.


Fonte: G1/Caruaru e região.

Shareaholic