quinta-feira, 23 de março de 2017

Família vítima de triplo homicídio em Caruaru é sepultada

Família foi enterrada no Cemitério Parque dos Arcos, em Caruaru. Foto: Reprodução

Os corpos das vítimas do triplo homicídio que aconteceu na última terça-feira (21) em Caruaru, no Agreste do Estado, foram velados e sepultados na manhã desta quinta-feira (23). Josefa Pereira da Silva, 62, Maria Madalena Pereira, 24, e Geraldo José da Silva, 61, moravam no Sítio Lagoa do Paulista, na Zona Rural do município, onde também aconteceu o velório.

A família estava em casa, na última terça, quando quatro homens tentaram roubar duas motocicletas da residência. Após entrarem em luta corporal com o grupo, pai, mãe e filha foram mortos com disparos de arma de fogo. O clima na manhã desta quinta na despedida da família foi de muita tristeza e revolta.

A polícia segue investigando o caso, mas, até o momento, ninguém foi preso. Durante a manhã desta quinta, uma coletiva foi realizada pela Polícia Militar e Polícia Civil na 14ª Delegacia Seccional de Caruaru para prestar esclarecimentos à imprensa sobre o caso e sobre a segurança no município.


Filho sobrevivente

Também estava na residência o filho do casal, Geraldo José da Silva Filho, 23, único sobrevivente da tragédia. Ele está internado em estado grave na UTI do Hospital da Restauração, no Recife, e passou por uma cirurgia de 5 horas de duração nessa quarta (22) para a retirada de uma bala alojada na cabeça. O jovem respira com a ajuda de aparelhos.

Moradores do Interior sofrem com agências do Banco do Brasil fechadas

Foto: Reprodução

47 agências do Banco do Brasil vítimas meses atrás da ação de criminosos no Interior de Pernambuco ainda não reabriram. O resultado disso é a população, prejudicada, precisando se deslocar até municípios vizinhos para fazer uma simples operação como saque de dinheiro.

A agência localizada em Riacho das Almas, no Agreste, por exemplo, foi alvo de bandidos em 3 de março de 2016. Na ocasião, o cofre da unidade foi explodido e a estrutura ficou comprometida. Porém, já se passou mais de um ano e a agência ainda não passou pelas reformas necessárias para a reabertura.

Nesta semana, o Banco do Brasil foi multado em R$ 4 milhões devido ao descumprimento da reabertura das agências. O repórter Giovani Gomes, da Rádio Jornal Caruaru, entrevistou a presidente do Sindicato dos Bancários de Pernambuco, Suzineide Rodrigues, que considera a situação um absurdo e diz que os bancos só não reabrem "porque não querem". 

A situação também é complicada nas cidades vizinhas ao município de Pesqueira. O último caso na região aconteceu no mês de dezembro, em Poção, quando 15 homens explodiram o cofre de uma agência do Banco do Brasil. Depois do ataque, o local funciona apenas como posto de atendimento para a parte burocrática dos serviços. Moradores que precisam realizar saques e depósitos necessitam se deslocar até cidades próximas.

Agência dos Correios assaltada em Glória do Goitá

Na madrugada dessa quarta-feira (22), a agência dos Correios do município de Glória do Goitá, na Zona da Mata, foi invadida por criminosos não identificados, que roubaram uma quantia não revelada e conseguiram fugir. A Polícia Federal continua com os trabalhos de investigação e a agência não funcionou durante o dia de ontem.

Para completar, a unidade contava com uma demanda bem maior nos últimos dois meses porque também funcionava como posto de atendimento do Banco do Brasil, já que a agência localizada no município também está fechada por causa de um assalto.


Sertão

Os sertanejos também não ficaram de fora da situação de prejuízo. No mês de janeiro, a agência do Banco do Brasil localizada em Afrânio, no Sertão de São Francisco, foi alvo de criminosos e ainda não foi reaberta. Além dos transtornos para a população, a economia do município também foi afetada.

O comércio local tem sentido as vendas diminuindo, já que os moradores precisam se deslocar para obter dinheiro em cidades vizinhas e acabam consumindo por lá. Um ato chegou a ser realizado na cidade por comerciantes e moradores, que exigem uma atitude do Banco do Brasil.

Prefeita de Monteiro quer municipalizar sistema de abastecimento de água da cidade

A prefeita de Monteiro, Anna Lorena, admitiu pela primeira vez, nesta quarta-feira, 22, a intenção em municipalizar o sistema de abastecimento de água do município, que atualmente é de responsabilidade da CAGEPA – Companhia de Abastecimento de Água e Esgoto da Paraíba.

A cidade de Monteiro vive uma de suas maiores crises no abastecimento de água, e, mesmo com a chegada das águas do Rio São Francisco a mais de 10 dias, a cidade continua em total colapso no abastecimento e alguns bairros estão sem água nas torneiras desde o mês de janeiro.

Ao comentar esta falta de respeito do Governo do Estado para com o município, em especial pela direção da CAGEPA, a prefeita Anna Lorena disse que ainda esta semana vai acionar o setor jurídico do município para adotar as providências cabíveis e até mesmo estudar a possibilidade de municipalizar o abastecimento de água, assim como já ocorre na cidade de Sousa, no Sertão da Paraíba.

“O governador Ricardo Coutinho esteve nos últimos dias, por duas vezes fazendo pose ao lado do presidente Michel Temer e dos ex-presidentes Lula e Dilma, querendo assumir a paternidade das obras da transposição, mas, não têm a capacidade de solucionar o problema da falta de água em Monteiro. Antes era o açude Poções que estava seco e agora que as águas já passaram para Campina Grande e o manancial já tem água suficiente para abastecer Monteiro, o que falta?”, indagou a prefeita.

Anna Lorena entende a revolta da população em até querer fechar as comportas da barragem São José. “É lamentável você vê a água passar e não poder usar porque a empresa responsável pelo abastecimento não consegue levar água para as torneiras das residências e, além disso, não presta quaisquer esclarecimentos a população”

A prefeita também revelou que estará acionando o Ministério Público Estadual para que as providências sejam adotadas judicialmente, uma vez que os moradores pagam mensalmente suas faturas e não recebem regularmente a água em suas torneiras.

Deputados aprovam projeto de 1998 que libera terceirização do trabalho

Imagem: Fotos Públicas

Mesmo sob forte protesto da oposição, o plenário da Câmara dos Deputados aprovou, na noite dessa quarta-feira (23), o Projeto de Lei (PL) 4.302/1998, de autoria do governo de Fernando Henrique Cardoso, que libera a terceirização para todas as atividades das empresas. O projeto foi aprovado por 231 a favor, 188 contra e 8 abstenções. O projeto segue para sanção presidencial.

Desde o início da sessão, a oposição obstruía os trabalhos. A obstrução só foi retirada após acordo para que fosse feita a votação nominal do projeto e simbólica dos destaques. O acordo foi costurado entre o líder do governo, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), e parte da oposição.

Pelo projeto, as empresas poderão terceirizar também a chamada atividade-fim, aquela para a qual a empresa foi criada. A medida prevê que a contratação terceirizada possa ocorrer sem restrições, inclusive na administração pública.

Atualmente a legislação veda a terceirização da atividade-fim e prevê a adoção da prática em serviços que se enquadrem como atividade-meio, ou seja, aquelas funções que não estão diretamente ligadas ao objetivo principal da empresa.

Trabalho temporário

O projeto que foi aprovado pelo plenário da Câmara também modifica o tempo permitido para a contratação em regime temporário dos atuais três meses para 180 dias, “consecutivos ou não, autorizada a prorrogação por até 90 dias, consecutivos ou não, quando comprovada a manutenção das condições que o ensejaram”, diz o projeto.

Decorrido esse prazo, o trabalhador só poderá ser contratado novamente pela mesma empresa após 90 dias do término do contrato anterior. O texto estabelece a chamada responsabilidade subsidiária da empresa contratante em relação aos funcionários terceirizados.

A medida faz com que a empresa contratante seja “subsidiariamente responsável pelas obrigações trabalhistas referentes ao período em que ocorrer o trabalho temporário e em relação ao recolhimento das contribuições previdenciárias”, diz o texto.

Debate

A discussão do projeto foi iniciada na manhã desta quarta-feira, a discussão da matéria foi iniciada com resistência da oposição. O deputado Alessandro Molon (Rede-RJ) criticou o projeto e disse que a iniciativa vai fazer com que a maioria das empresas troque os contratos permanentes por temporários. “Essa proposta tem por objetivo uma contratação mais barata, precarizando e negando direitos. O próximo passo é obrigar os trabalhadores a se transformarem em pessoas jurídicas, abrindo mão de férias, licença-maternidade e outros direitos”, disse.

No início da tarde, o relator Laercio Oliveira (SD-SE) apresentou o seu parecer e rebateu as críticas. De acordo com o deputado, o projeto não retira direitos. “Faço um desafio: apontem dentro do texto um item sequer que retire direitos dos trabalhadores. Não existe”, disse.

O líder do governo, Aguinaldo Ribeiro, defendeu o projeto com o argumento de que a medida vai ajudar a aquecer a economia, gerando novos empregos. “O Brasil mudou, mas ainda temos uma legislação arcaica. Queremos avançar em uma relação que não tira emprego de ninguém, que não vai enfraquecer sindicatos. Eles também vão se modernizar”, disse.

Projeto de 1998

Originalmente, o projeto foi encaminhado à Câmara em 1998 pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e aprovado no Senado em 2002. Deputados contrários ao projeto criticaram a votação da proposta 15 anos depois e chegaram a defender a apreciação de outro texto, em tramitação no Senado, que trata do tema.

“Já votamos essa matéria aqui e aprovamos uma matéria que foi para o Senado e que é muito diferente desse projeto que está na pauta aqui hoje. Essa matéria não passou pelo debate dessa legislatura e seguramente representa um duro ataque aos direitos dos trabalhadores”, disse a deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ).

AGRICULTOR É SURPREENDIDO POR VÁRIOS DISPAROS DE ARMA DE FOGO, MAS SAIU ILESO

Um agricultor de 32 anos chegava em casa por volta das 19h00 de quarta-feira (23/3) no Sítio São Francisco, área rural do município de Correntes, quando foi surpreendido por vários disparos de arma de fogo. A vítima conseguiu sair ilesa.

Ele informou a polícia que visualizou dois elementos em uma motocicleta de cor preta, mas não conseguiu identificá-los. Disse também que havia tido uma discussão no período da manhã e que suspeita que tenha sido algum tipo de represália.

Ainda segundo a Polícia Militar, os policiais orientaram o mesmo a prestar uma queixa na delegacia de polícia.

AGÊNCIA DOS CORREIOS É ASSALTADA EM POÇÃO, NO AGRESTE DE PERNAMBUCO

Uma agência dos Correios foi assaltada na manhã desta quinta-feira (23) em Poção, no Agreste de Pernambuco. De acordo com a Polícia Militar, homens fortemente armados chegaram em um carro de passeio, entraram no local e anunciaram o assalto.

Ainda segundo informações da PM, os suspeitos fugiram e até o momento não foram encontrados. A polícia está realizando buscas na região. A agência está fechada e não foi informado se os bandidos conseguiram roubar algo do local.

(Do G1)

HOMEM MORRE ATROPELADO NA BR 232 EM CARUARU

Faleceu ao ser atropelado no final da noite desta quarta-feira (22) próximo no Sítio Cipó, na BR 232, na zona rural de Caruaru, Givanildo Firmino da Silva, de 42 anos, ele tentava atravessar a via e foi atropelado por um veículo não identificado e morreu no local.

O corpo da vítima foi encaminhado para o IML local e familiares não souberam informar se ele estava embriagado.

Shareaholic