quinta-feira, 27 de outubro de 2016

CAPOTAMENTO EM SANTA CRUZ DO CAPIBARIBE - PE


No final da manhã desta quinta-feira (27), um caminhão de placas PFV-7184, que transporta carne do matadouro de Santa Cruz do Capibaribe para os pontos de vendas no município, virou na estrada que dá acesso a estrada do Sítio São Paulo de Sinésio, zona rural.

Segundo informações, o fato ocorreu após o caminhão fazer uma entrega de carne no Sítio São Paulo de Sinésio e ao retornar, o condutor do veículo perdeu o controle do mesmo na curva e virou. Na ocasião, o condutor e mais três ocupantes não se feriram, apenas danos materiais.

Após o fato, uma retroescavadeira da prefeitura foi solicitada para desvirar o veículo e liberar a via, onde fizeram um alargamento na estrada para que outros veículos pudessem passar, já que o caminhão ficou atravessado na estrada.

ACIDENTE NA PE 160 EM SANTA CRUZ DO CAPIBARIBE - PE


Na tarde desta quinta-feira (27) um casal sofreu um acidente na PE-160, próximo a um parque de vaquejada localizado na via que dá acesso ao município de Santa Cruz do Capibaribe.

Segundo informações do motorista que conduzia o veículo Frontier, cor prata e placas PFR-1313, o mesmo teria cochilado ao volante, foi quando o carro saiu da pista e atingiu parte de um terreno que fica às margens da PE-160, chegando a derrubar um outdoor que se encontrava exposto no local.

De acordo com a esposa do motorista, ele teria tomado um medicamento para sonolência e que havia parado em diversas vezes durante a viagem para evitar alguma imprudência, porém ao chegar na entrada de Santa Cruz, ele cochilou e provocou o acidente.

As vítimas tiveram apenas ferimentos leves e foram medicados pela equipe do Samu.




ASSALTO COM REFÉM NO BANCO DO BRASIL DE BEZERROS.




Bandidos fizeram a família do tesoureiro do Banco do Brasil de Bezerros como refém e colocaram um artefato explosivo no corpo do gerente, que deveria ir ao banco pegar um valor em dinheiro. A polícia tomou conhecimento do fato por vizinhos que desconfiaram da movimentação. Pela manhã desta quinta-feira (27) as equipes e se dirigiram à agencia onde encontraram o funcionário com o artefato.

A família foi liberada em Terra Vermelha, zona rural de Caruaru. A polícia ainda está na agência. Nada foi levado pelos bandidos e o GOE (Grupo de Operações Especiais da Polícia Civil) está na cidade apurando o caso.

MORTE DO PROMOTOR: ZÉ MARIA BUSCA ENVOLVER NOIVA DA VÍTIMA NO CRIME


Ouvido ontem no terceiro dia do julgamento dos acusados pela morte do promotor Thiago Faria Soares, o agricultor José Maria Pedro Rosendo – apontado pelo Ministério Público Federal (MPF) como mandante do crime – se declarou inocente e tentou envolver a advogada Mysheva Martins, ex-noiva de Thiago, no assassinato. O Promotor foi morto com tiros de espingarda calibre 12, em outubro de 2013, na estrada que liga os municípios de Águas Belas e Itaíba.

Rosendo alegou que Mysheva teria passado um período se relacionando, ao mesmo tempo, com o promotor e com um antigo namorado, o comerciante Glécio Oliveira Júnior, com quem teria rompido em fevereiro de 2013. Segundo José Maria – conhecido com Zé Maria de Mané Pedro -, Glécio chegou a procurá-lo e comentar que o final do relacionamento o havia deixado muito abalado. “No interior, quando um homem é traído, mata a mulher, o amante, ou os dois. Isso é comum”, comentou o agricultor, durante o depoimento à juíza Amanda Lucena Torres, da 4ª Vara Federal, que preside o julgamento. Segundo Zé Maria de Mané Pedro, Glécio teria emprestado a Mysheva os R$ 100 mil utilizados na compra de 25 hectares da Fazenda Nova, em um leilão, em 2012. Rosendo e sua família moravam no local e travaram uma disputa judicial com a advogada para não deixar o imóvel.


Zé Maria de Mané Pedro admitiu ter três armas registradas no nome da família: um rifle, uma espingarda calibre 12 e uma pistola 380. O agricultor também confessou ter viajado para Alagoas no dia do assassinato por temer pela vida, uma vez que sabia que seu nome seria relacionado ao episódio. “Depois fiz quatro vídeos explicando minha inocência. A investigação da Polícia Civil não era correta. Então, quando soube que o caso tinha sido federalizado (em abril de 2014), decidi me entregar à Polícia Federal para prestar todos os esclarecimentos”, disse.

De acordo com a acusação do MPF, a intervenção de Thiago Faria junto à Justiça para agilizar a imissão de posse para a noiva foi o motivo do homicídio. A hipótese do envolvimento de Glécio e Mysheva no crime foi descartada pela investigação da Polícia Federal (PF). O advogado que representa Mysheva Martins na assistência de acusação durante o julgamento, José Augusto Branco, rechaçou as declarações de Rosendo.



José Maria ainda alegou durante o depoimento que nunca teve qualquer desavença com Mysheva, mesmo tendo sofrido um atentado em 1984, cuja culpa ele confere ao pai da Advogada. Rosendo ainda afirmou desejar que o caso da morte de Thiago Faria seja elucidado. “Se eu for condenado, a morte do Promotor vai ficar impune, pois os verdadeiros culpados não serão punidos.” Os outros dois acusados pelo homicídio, Adeildo dos Santos e José Marisvaldo da Silva, também foram ouvidos ontem. A exemplo do que aconteceu no segundo dia do júri, Adeildo passou mal e precisou ser atendido pela equipe médica da Justiça Federal.

A decisão dos jurados sobre a culpa ou inocência dos réus será anunciada na madrugada de amanhã. O dia de hoje será reservado para os debates entre defesa e acusação, cada um com duas horas e meia (o tempo da defesa é dividido entre os três acusados). A expectativa da Justiça Federal de Pernambuco é que a sessão termine por volta das 2h da sexta-feira.
(Com informações do Jornal do Commercio e imagens de reprodução da TV Globo Nordeste)

HOMEM É ASSASSINADO E CARBONIZADO NUMA PEDREIRA NA ZONA RURAL DE CARUARU.


Funcionários de uma pedreira que fica na estrada do Sítio Pau Santo, em frente da Fazenda Mirim, as margens da BR 232, na zona rural de Caruaru, ficaram perplexos quando chegaram para trabalhar por volta das 5:30h da manhã desta quinta-feira (27) e se deparam com um corpo humano em chamas. Foram usados dois pneus para fazer a combustão do cadáver que ficou totalmente destruído. De acordo com informações de moradores da área, foram ouvidos disparos durante a madrugada, pelo estado que ficou o corpo não dá nem para determinar se a vítima era um homem ou uma mulher.



Um dos funcionários da pedreira, Cícero Daniel, informou que o seu patrão é quem chega primeiro no local e o mesmo foi quem encontrou o cadáver, mas não dá para afirmar se existe alguma testemunha, pois a pedreira apesar de está dentro de uma área privada não tem portão, não tem nenhum vigilante e apesar de ser cercado qualquer pessoa pode entrar, já que os funcionários só trabalham durante o dia.

Este foi o 19º assassinato do mês de outubro e o 182º do ano de 2016 em Caruaru e os restos mortais serão encaminhados para o IML do Recife.




MULHER É FLAGRADA EM CARRO COM REGISTRO DE ROUBO NA BR 104


Uma mulher foi flagrada em um carro com registro de roubo na manhã desta quarta-feira (26), na BR 104, em Caruaru, no Agreste de Pernambuco. A abordagem aconteceu durante uma fiscalização de trânsito da Polícia Rodoviária Federal (PRF), em frente à Unidade Operacional da Juriti.

Os agentes da PRF deram ordem de parada à condutora, que estava trafegando com o farol desligado na rodovia. Após realizarem uma verificação minuciosa, foi constatado que o automóvel possuía uma restrição judicial por roubo/furto, do mês de julho deste ano, e que havia mais de R$1.400,00 em débitos, por multas e licenciamento vencido.

A mulher informou que o carro havia sido roubado e foi encontrado abandonado algum tempo depois. Disse também que o veículo era do seu sogro e que ainda não havia conseguido dar baixa no registro de roubo. Ela foi encaminhada para a Delegacia de Polícia Civil de Caruaru, que irá investigar o caso.

Vereador do Brejo da Madre de Deus sofre acidente na BR-104

Nesta quarta-feira (26), o vereador de Brejo da Madre Deus, Robertinho Asfora (PSB) se envolveu em um acidente na BR-104, próximo à entrada do município de Brejo da Madre de Deus por volta das 6h30 da manhã.

Segundo informações do parlamentar, um dos pneus do reboque teria se soltando e com isso, o encaixe também teria saído do engate, foi quando o vereador teria perdido o controle do veiculo, um Toyota Bandeirante e virado na pista de rolamento.

Apesar do susto, Robertinho Asfora se encontra em sua residência e passa bem.

PORTO: “A QUEM RECORRER, QUANDO O ESTADO TENTA CONVENCER UM PADRE A ‘ESCONDER’ A VIOLÊNCIA?”


O desabafo do padre Arlindo, de Tamandaré, sobre a proposta que recebeu da Polícia Militar ao pedir reforço no combate à violência naquele município do Litoral Sul, foi motivo de pronunciamento do deputado estadual Álvaro Porto nesta quarta-feira (26.10) na Assembleia Legislativa. Segundo declarações do pároco, viralizadas num áudio gravado no WhatsApp, coronéis a quem ele recorreu tentaram lhe convencer a se calar para não alarmar veranistas. Para o deputado, a atitude dos representantes da PM revela um aspecto que só agrava o fracasso da política de segurança pública em Pernambuco.

“Senhoras e senhores, para quem devemos apelar quando quem deveria garantir segurança tenta convencer um padre a mentir? A quem recorrer quando a ordem no Estado é fantasiar que está tudo bem, enquanto moradores e veranistas são vítimas de bandidos?”, questionou Porto. “Se não chegamos ao fundo do poço, não sabemos mais onde iremos parar com esse tipo de segurança que prefere esconder fatos e enganar o povo”, completou.

Na última segunda-feira (24.10), Álvaro Porto conversou com o padre Arlindo. O pároco reafirmou tudo que disse na gravação e autorizou o deputado a apresentar suas denúncias no plenário. O religioso destacou que, como representante da comunidade, ouve as queixas da população e se indigna com o descuido do Governo com a segurança. Segundo ele, para prestar Boletim de Ocorrência, é preciso à Delegacia em Palmares, porque a de Tamandaré não funciona. Salientou também que o município, de 22 mil habitantes, conta com apenas dois policiais.

Desde 2015, Porto vem apontando falhas, cobrando melhores condições de trabalho para os policiais e se colocando à disposição para debater o tema e buscar soluções com o Governo. No discurso desta quarta-feira ele salientou ser inevitável tornar-se repetitivo. “Não dá para assistir a tudo isso sem voltar aqui e protestar. É impossível continuar levando a vida como se nada tivesse acontecendo. Como se tudo o que é denunciado e cobrado aqui fosse questão de política ou de partidarização. Não é. Jamais foi. O que fazemos aqui, oposicionistas e governistas, é dar voz à angústia da população que há tempos está apavorada com tanta insegurança”, disse.

Em mais um balanço dos fatos, o deputado disse que o Estado dá mostras de não conseguir controlar a segurança nas ruas, nos presídios e mesmo nas instituições de amparo a infratores. Ele citou os novos de casos de explosões de caixas eletrônicos em Santa Cruz do Capibaribe e no Shopping Costa Dourada, no Cabo de Santo Agostinho; os homicídios em série em Bezerros, os assassinatos registrados no estacionamento da fábrica Tacaruna e no Pátio de São Pedro, no Recife; e a rebelião que resultou em quatro mortes na Funase de Timbaúba, na Mata Norte. “Enquanto isso, nas delegacias, os policiais fazem cota para comprar papel, tinta e até água para beber”, disse.

Na avaliação do deputado, enquanto os crimes vão se sucedendo, as condições de trabalho dos policiais pioram, a população se sente vulnerável e o Governo do Estado permanece preso numa rede de equívocos. “Esconder fatos, minimizar denúncias e reduzir críticas à politização ou à questão partidária não resolverá o problema”, criticou.

Álvaro Porto aproveitou pronunciamento para parabenizar o Padre Arlindo pela coragem de não fugir ao seu papel de líder de paróquia e, principalmente, por se recusar a comungar com a mentira. “É por conta de maquiagens como esta denunciada pelo padre que Pernambuco chegou a esse estágio de total desesperança e terror”, salientou.

Ele também atacou a resposta encaminhada à imprensa pela Assessoria de Comunicação da Polícia Militar. Para ele, o conteúdo reafirma a omissão do Governo diante episódios que deveriam ser apurados e esclarecidos. “O Palácio do Campo das Princesas se ateve a outros temas tratados pelo padre e ignorou a denúncia. Como sempre, o Governo joga fatos sérios para debaixo do tapete. Foi assim quando o secretario de Justiça e Direitos Humanos confessou que conversava com presos por celular, está sendo assim agora”, arrematou.

Shareaholic