terça-feira, 25 de outubro de 2016

SEIS MIL PROTESTAM EM BRASÍLIA CONTRA PROIBIÇÃO DE VAQUEJADAS



Com faixas e um carro de som posicionado próximo ao Congresso, vaqueiros e empresários do setor negam que a prática signifique maus tratos aos animais e afirmam que, além de elemento da cultura, a atividade é fonte de geração de emprego e renda; o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), recebeu representantes da atividade e prometeu instalar uma comissão para analisar a prática

Yara Aquino - Repórter da Agência Brasil

Uma manifestação contra a proibição das vaquejadas reúne hoje (25), na Esplanada dos Ministérios, vaqueiros e cavalos vindos de diversos estados.

Com faixas e um carro de som posicionado próximo ao Congresso Nacional, vaqueiros e empresários do setor negam que a prática signifique maus tratos aos animais e afirmam que, além de elemento da cultural, a atividade é fonte de geração de emprego e renda.

A organização do evento diz que cerca de 700 caminhões de transporte de animais e 6 mil pessoas vieram a Brasília para a manifestação. São dois mil animais, principalmente cavalos.

No último dia 6, o
Supremo Tribunal Federal (STF) julgou inconstitucional uma lei do Ceará que regulamentava a vaquejada no estado. Com o entendimento do STF, a prática passou a ser considerada ilegal, relacionada a maus-tratos de animais.

O vaqueiro Clayton Araújo, 35 anos, vive em Paratinga (BA) e quer o retorno da vaquejada que ele conta fazer parte da história de sua família e diz ser um elemento cultural para muitos nordestinos. Segundo Clayton, a vaquejada mudou ao longo dos últimos anos e hoje são tomados cuidados para evitar maus-tratos aos animais.

“Existe toda uma vida por trás disso. Eu nasci e me criei dentro dela, meu avô era vaqueiro, meu pai é vaqueiro. Não envolve só o emprego, envolve toda uma cultura, raiz, criação. Já houve maus-tratos; quando comecei a correr existia a pista dura que maltratava o boi, hoje a pista é de areia, existia chiar o boi que era derrubar e arrastar e isso hoje não acontece mais. E também existia correr bezerro e hoje, na vaquejada regularizada, isso é proibido. Agora usamos o protetor de cauda”, disse.

Vaquejadas sustentam famílias

Ele diz que a vaquejada é uma forma de sustento para muitos e proibir a prática vai causar impacto em pequenas e grandes cidades a trabalhadores como tratadores, vaqueiros e motoristas.

De acordo com a Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Quarto de Milha (Abqm) e a Associação Brasileira de Vaquejadas (Abaq), anualmente, são realizadas cerca de 4 mil vaquejadas no país, a maioria no Nordeste, que geram 700 mil empregos diretos e indiretos.

As associações afirmam que, nos últimos 10 anos, a atividade passou por regulamentação para garantir a segurança dos competidores e dos animais e defendem que, ao invés de vedar a regulamentação da prática, o caminho é adotar medidas que garantam a continuidade da vaquejada.

O proprietário do Parque Leão de Vaquejada, em Brasília, Raul Leão, diz que medidas adotadas nos últimos anos - como o uso do protetor de cauda e da cama de areia onde o animal é derrubado - evitam sofrimento. Para Leão, o que deve ser combatida é a prática clandestina da atividade que ocorre sem a adoção da regulamentação necessária.

O empresário diz que o impacto econômico que o fim da atividade gera atinge toda uma cadeia produtiva como de produção de selas, rações e medicamentos.

“Esperamos que o Supremo seja sensibilizado pelos efeitos que essa decisão vai causar a esses 700 mil empregos. Foi lamentável ter ocorrido esse julgamento sem ter uma audiência pública para debater o que a vaquejada representa para o país”, disse Raul Leão.

Os caminhões que transportaram os animais passam o dia estacionados nas faixas ao longo dos meios fios da Esplanada dos Ministérios, em Brasília, e provocaram engarrafamento na região central da cidade pela manhã.

Ao longo do dia, os integrantes do movimento participam de uma missa na Catedral de Brasília e de uma audiência pública na Câmara dos Deputados. As atividades vão terminar com um show à noite, na Esplanada.

Leia mais na reportagem da Agência Câmara:

Rodrigo Maia promete instalar comissão para analisar PEC sobre vaquejada

Afirmação foi feita em evento na Câmara que reuniu representantes da atividade e parlamentares que defendem a prática

O presidente da Câmara Rodrigo Maia disse que irá instalar a comissão especial da Proposta de Emenda à Constituição (PEC 270/16), apresentada hoje, que define a prática de rodeios e vaquejadas como expressão artística e cultural e como patrimônio imaterial brasileiro e transforma a atividade em modalidade esportiva. Maia participou de evento nesta terça-feira (25) no salão nobre da Câmara com representantes da atividade e parlamentares que defendem a vaquejada.

No início do mês, o Supremo Tribunal Federal (STF) julgou a vaquejada ilegal por entender que a prática seria crime ambiental devido aos maus tratos com os animais.

Rodrigo Maia afirmou que vai buscar diálogo com os ministros do STF para que embargos que contestem o parecer da Corte possam reverter a decisão que tornou ilegal a atividade. "Vamos construir um acordo, um marco legal para resolver o problema e dar clareza para sociedade e explicar que não há maus tratos aos animais", afirmou o presidente.

Críticas

O deputado Hugo Motta (PMDB-PB) criticou a decisão do Supremo. Para ele, foi uma posição radical e que vai afetar a vida de milhares de pessoas que dependem da atividade para sobreviver. Segundo Motta, é importante a aprovação da PEC para garantir a prática, que é comum no Nordeste e Centro-Oeste.

O deputado Jovair Arantes (PTB-GO) explicou que a vaquejada é uma prática que envolve cerca de 800 mil empregos, com uma ampla cadeia de produção que vai desde os produtores de cela, aos produtores de animais, de reação até veterinários. "A PEC vai constitucionalizar a atividade como tradição cultural brasileira e consolidar como prática esportiva", defendeu o parlamentar.

TRÊS MORTOS E OITO FERIDOS EM REBELIÃO NA FUNASE DE TIMBAÚBA



Três jovens infratores morreram, na madrugada desta terça-feira (25), durante uma rebelião na Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase), em Timbaúba, na Zona da Mata Norte de Pernambuco, distante 98 quilômetros do Recife.

De acordo com informações do 2º Batalhão da Polícia Militar, o motim também deixou oito rapazes ferido

SUICIDIO EM SANTA CRUZ DO CAPIBARIBE - PE

Na manhã desta terça-feira (25) mais um suicídio foi registrado em Santa Cruz do Capibaribe.

De acordo com as primeiras informações, a vítima foi identificada por Marcos Márcio Aragão Irmão (30 anos) e o fato aconteceu na Avenida Teófanes Ferraz (já na saída para a estrada que dá acesso ao Sítio Maracajá) bairro da Palestina.

FOTOS: JOSEILDO SILVA

O homem cometeu a ação através de enforcamento, usando uma corda para tirar a própria vida. De acordo com informações repassadas por familiares, ele sofria de esquizofrenia. 

A Polícia Militar foi acionada e isolou o local até a chegada de peritos da polícia civil.

EX-PRESIDIÁRIO DA OPERAÇÃO DRAGAGEM É ASSASSINADO A TIROS EM RIBEIRÃO/PE

Um homem de 33 anos, morador da cidade de Caruaru no Agreste, foi assassinado com um tiro no rosto, por volta das 02h45 de segunda-feira (24/10), na Rua Getúlio Vargas, Cohab de Ribeirão/PE, na Mata Sul do estado.

De acordo com informações da Polícia Militar, Franklin Wilker Siqueira Silva chegou a cidade no domingo, foi beber no centro da cidade, após sair da bebedeira foi a casa de parentes, minutos da sua chegada apareceram três elementos, tendo um deles efetuado o disparo que acertou o rosto. Franklin havia sido preso em 2008 na “Operação Dragagem” da Polícia Civil, que investigava grupo de extermínio, na época foram presas 33 pessoas acusadas de atuarem na Zona da Mata e Região Metropolitana do Recife.

Os assassinos de Franklin Wilker desapareceram e não foram encontrados pela polícia.

A Polícia Civil foi acionada para efetuar o levantamento cadavérico e o corpo foi encaminhado ao Instituto de Medicina Legal (IML) do Recife.

EM TAQUARITINGA DO NORTE, POLÍCIA APREENDE ARMA DE FOGO E DROGA



Após denúncia anônima, policiais do 24º Batalhão, em Santa Cruz do Capibaribe, iniciaram uma operação na noite do ultimo domingo (23), onde envolveu vários policiais. Durante a operação foi apreendido um revólver calibre 38, com cinco munições de mesmo calibre, além de 44 papelotes de maconha prontos para o consumo.

Ainda de acordo com informações da polícia, apreensão aconteceu por volta das 21:00 na cidade de Taquaritinga do Norte/PE. Durante a ação policial, um elemento de nome Wilames Gomes da Silva, de 21 anos, foi preso e encaminhado à Delegacia de Santa Cruz do Capibaribe e autuado em flagrante.

FILHO É PRESO POR TENTAR AGREDIR O PAI DE 83 ANOS, EM LAGOA DO OURO

Um agricultor foi preso nesta segunda-feira (24), em Lagoa do Ouro, no Agreste pernambucano. Geraldo Ventura Torres, de 49 anos, estava embriagado e teria chegado a casa do pai embriagado.

A Polícia Militar informou que ele estava bastante agressivo e tentou agredir o pai, idoso de 83 anos, a vítima reagiu tendo eles entrado em luta corporal, Geraldo foi preso e levado a Delegacia de Polícia, onde foi entregue para as medidas cabíveis.

29 cidades do Cariri são assistidas com apenas um banco devido a onda de assaltos

O Cariri Paraibano sofre sem os serviços do Banco do Brasil. Das 29 cidades que compõem a região, apenas o BB de Monteiro está funcionado plenamente. A população vem sendo penalizada há muitos meses, mas é o comércio que sofre os maiores impactos.

Comerciantes de Serra Branca, por exemplo, reclamam que a cidade está parada e em meio a uma crise nacional, o não funcionamento do banco tem penalizado muito a movimentação no comércio. “Muita gente agora prefere se deslocar para Campina Grande, pois lá resolve muitos de seus problemas, faz compras, se alimenta e a economia em seu bolso reflete necessariamente na conta mais cara que estamos a pagar”, pontuou.

Com quase todos os bancos do Cariri fechados, o dinheiro tem deixado de circular na região e migrou para um centro comércio que em si já é grande e que, portanto, não precisaria desse incremento.

As agências de cidades como Sumé, Serra Branca, Cabaceiras e Boqueirão estão fechados devido a assaltos e explosões. Em Serra Branca, por exemplo, foram dois ataques dentro de um ano e no próximo mês de novembro completará 365 dias fechada.

A imprensa estadual, através do repórter Bruno Lira do portal MaisPB, entrou em contato com o Superintendência do Banco do Brasil, em João Pessoa, que preferiu não se pronunciar por questões de segurança.

EM BOM CONSELHO, ADOLESCENTE INVADE RESIDÊNCIA FURTA JOIA E CELULAR

Um adolescente foi apreendido nesta segunda-feira (24), após invadir uma residência de onde furtou um aparelho celular e uma joia, após a ação ele fugiu correndo sendo identificado e apreendido pela Polícia Militar.

O infrator foi levado junto com a dona da casa para a delegacia de Polícia Civil, já na delegacia a vítima desistiu de representar sendo o infrator liberados e os objetos devolvidos.

ANUNCIE AQUI


Entre em contato conosco Telefones:(81) 9 9704-3456 Whatsapp (81) 9 9428-8603

Shareaholic