quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

PF DÁ DICAS DE SEGURANÇA SOBRE CUIDADOS PARA NÃO RECEBER NOTAS FALSAS E SOFRE GOLPES EM TERMINAIS ELETRÔNICOS

A Polícia Federal em Pernambuco tendo em vista a aproximação das festas de fim de ano e do comércio aquecido em eventos tais como: Carnaval, São João, e as de fim de ano natal e ano novo, principalmente NAS CIDADES DO INTERIOR, em eventos, shows e casas noturnas, quando se percebe que a movimentação e aglomeração de pessoas no comércio é crescente atraindo assim grande circulação de dinheiro, ALERTA a população para redobrar o cuidado com relação ao perigo de recebimento de notas falsas e dos golpes que são aplicados em terminais eletrônicos com o objetivo de clonagem de cartão e retenção de dinheiro e envelopes dos clientes e correntista de bancos públicos e privados que tais equipamentos, principalmente nos finais de semana e fora do horário de expediente e que se encontram espalhados por diversos pontos da capital pernambucana, quando as pessoas estão utilizando para fazer saques e diversas transações bancárias.

NOTAS FALSAS

Em tempos de liquidações e queima de estoque, consumidor deve ficar atento na hora de sacar dinheiro e receber o troco porque uma das grandes táticas utilizadas pelos criminosos é usar notas de valores altos para comprar itens baratos, em busca do troco.

Algumas pessoas já passaram pela situação constrangedora de serem informadas pelo caixa do banco ou do comércio que o dinheiro usado para pagar é falso. Muitas dessas falsificações são bem grosseiras e de fácil identificação, mas nem sempre é assim; algumas exigem uma análise mais detalhada, para que seja constatada a fraude. Se uma pessoa recebe uma nota falsa quase sempre vai ter de arcar com o prejuízo, porque não existe uma legislação que garanta a troca por dinheiro verdadeiro. Se o saque for feito em caixa eletrônico, a recomendação é que o consumidor tire um extrato que comprove o saque e procure o gerente da agência afim de que possa haver um entendimento mútuo acerca do ressarcimento dos valores. Quem receber uma nota falsa nunca deve passá-la adiante com o objetivo de livrar-se do prejuízo – pois poderá ser preso em virtude de incorrer no mesmo crime. A nota falsa deve ser entregue a um banco, que a encaminhará ao Banco Central ou procurar a Polícia Federal.

ESTATÍSTICAS NO BRASIL

Em (2014) a nota com maior incidência de falsificação no Brasil foi a de R$ 100,00 com 138.860 registros seguida da cédula de R$ 50,00 com 107.383 – Nas primeiras posições por estado estão: 1-São Paulo, 2-Rio de Janeiro, 3-Minas Gerais, 4-Rio Grande do Sul, 5-Bahia, 6-Paraná, 7-Goiás e 8-Pernambuco.

ESTATÍSTICAS EM PERNAMBUCO

Em (2015) já houveram 12 apreensões significativas que já totaliza um valor de R$ 16.045,00 reais com a prisão de 12 pessoas.

Em (2014) foram apreendidos R$ 11.441,00 (onze mil quatrocentos e quarenta e um) reais com a prisão de 11 (onze) pessoas.

A maior apreensão realizada pela Polícia Federal no Estado de Pernambuco aconteceu no dia 14.09.2009 através da “Operação Contenção” realizada nas cidades de Canhotinho/PE, Agrestina/PE e Caruaru/PE quando foram presas 04(quatro) pessoas e apreendidas R$ 44.900,00 (quarenta e quatro mil e novecentos) reais em notas falsas.

CRIMES:

Artigo 289, § 1º do Código Penal:
Guarda, adquirir, vender, trocar ou colocar em circulação moeda falsa.
Pena: 3 a 12 anos de reclusão, além de multa!

Artigo 289, § 2º do Código Penal:
Receber de boa-fé, como verdadeira, moeda falsa e restituir à circulação, depois de conhecer a falsidade;
Pena: 6 meses a 2anos de detenção, além de multa

DICAS DE SEGURANÇA PARA EVITAR O RECEBIMENTO DE NOTAS FALSAS:

CONHECIDO MÉTODO “TOCAR – OBSERVAR – INCLINAR”. Este método permite identificar um grande número de notas falsas percebendo se a textura da nota é diferente do normal e se os elementos de segurança são visíveis pela observação da nota em contraluz ou através da sua inclinação.

SIGA ALGUMAS ORIENTAÇÕES TAIS COMO:

1. CONHEÇA BEM A NOTA VERDADEIRA: Geralmente pessoas que lidam diariamente com dinheiro, como os caixas de banco e comerciantes, sabem facilmente identificar uma nota falsa – essa experiência em manusear diariamente o dinheiro verdadeiro faz com que eles se tornem especialistas em identificar notas falsas.

2.COMERCIANTE: NÃO TENHA PRESSA NO ATENDIMENTO: Geralmente essas notas são passadas em locais de grande concentração de pessoas, feiras, lojas, supermercados, comércio ambulante, e muitas vezes a pressa do comerciante para atender um maior número de clientes faz com que ele não tome o devido cuidado em verificar a nota que está recebendo.

3-VERIFIQUE SE AS NUMERAÇÕES DAS NOTAS NÃO SÃO IGUAIS: Ao receber duas notas de igual valor verifique se as numerações não são iguais, os falsários não costumam fazer notas falsas com numeração diferente porque isso acarreta em custos com impressão por ter que mudar a matriz da impressão.

4. OBSERVE A TEXTURA DA NOTA: Outra cautela que pode ser tomada é reparar na textura do papel das notas que estão sendo recebidas, as notas falsas tendem a ser lisas, enquanto as notas verdadeiras são ásperas e possuem um alto relevo e saliência nos itens de segurança que pode ser percebido pelo tato. Sinta com os dedos o papel e a impressão.

5. OBSERVE A IMPRESSÃO DA NOTA – Nas cédulas legítimas, as tonalidades de cores são firmes – as notas falsas têm cores com pouca nitidez e costuma haver borramento das cores.

6. VERIFIQUE A MARCA DÁGUA COLOCANDO A NOTA CONTRA A LUZ.

7. NO CASO DE DÚVIDA, COMPARE A NOTA SUSPEITA COM UMA NOTA VERDADEIRA.

8. BAIXE O APP GRÁTIS “DINHEIRO BRASILEIRO” NO SEU SMARTPHONE – O aplicativo que foi desenvolvido pelo Banco Central não analisa a autenticidade da cédula, apenas ajuda a identificar e conhecer os itens de segurança.

PRINCIPAIS GOLPES APLICADOS EM TERMINAIS ELETRÔNICOS:

1-GOLPES PARA CAPTAR A TRILHA E A SENHA:

FRENTES FALSAS:

Forma de atuação: Os estelionatários geralmente usam as chamadas “frentes falsas” “máscaras”, onde toda a parte frontal do terminal eletrônico é sobreposto ao original para simular a frente de um caixa verdadeiro. Um notebook é instalado por trás do equipamento com um mecanismo interligado tanto no local de introdução do cartão magnético quanto no dispositivo do teclado aliado a um programa que simula todas as principais operações bancárias, porém nunca consegue finalizar a transação, aparecendo sempre uma mensagem de erro. A intenção dos bandidos é copiar e enviar via internet (este dispositivo possui um chip com modem que envia através da web todas as informações para o bandido) a trilha do cartão como também a digitação da senha nas teclas alfa numérica. Após algum tempo os criminosos voltam ao banco retiram a parte da frente que foi colocado previamente e depois confeccionam vários cartões com as trilhas capturadas ou numa forma mais evoluída recebe todas as informações pela internet em virtude de haver um modem acoplado ao equipamento e de posse das senhas realizam saques em dinheiro causando grandes prejuízos para correntistas e instituições bancárias.

SOBREPOSIÇÃO DE FALSA ENTRADA DO CARTÃO ALIADO A UM DISPOSITIVO DE FILMAGEM:
Forma de atuação: Nesta modalidade os suspeitos sobrepõem através de fita adesiva dupla face, um “falso mecanismo de entrada do cartão magnético” para copiar a trilha do cartão, aliado a uma micro câmera que fica perto do teclado para filmar a digitação da senha. Ambos os dispositivos possuem em seu interior mecanismo eletrônico que é capaz de gravar as trilhas do cartão bem como filmar a senha que está sendo digitada. Após algum tempo os criminosos voltam ao banco retiram os equipamentos que foram colocados e depois confeccionam vários cartões com as trilhas capturadas e de posse das senhas realizam saques em dinheiro causando grandes prejuízos para correntistas e instituições bancárias.

Como se proteger:
Caso sua operação não for completada ou apareça alguma mensagem de erro na tela procure forçar a frente do terminal ou a entrada do cartão magnético para parte da frente, caso ele esteja clonado ou sobreposto por algum mecanismo duvidoso ele sairá através do movimento executado. Se for constatada a adulteração entre em contato com o banco através do SAC – Serviço de Atendimento ao Cliente (geralmente a instituição financeira manda um funcionário de segurança privada imediatamente ao local verificar o que está ocorrendo com o terminal), funcionário credenciado ou para a polícia militar através do número 190. Lembre-se que os bandidos podem estar de fora da agência, por isso é importante sempre que possível, fazer seus saques no horário comercial, quando o movimento de pessoas é maior, evitando o período noturno. Quando precisar realmente sacar dinheiro à noite, leve um ou mais acompanhantes adultos para que fiquem fora da cabine, como se estivessem na fila;

2-GOLPES QUE RETÉM O DINHEIRO:

BLOQUEIO DO DISPENSADOR DE NOTAS:
Forma de atuação: Neste caso é colocado um segundo compartimento parecido com uma régua na frente do dispensador de cédulas, localizado na parte de baixo do caixa eletrônico com o objetivo de reter o dinheiro sacado. A abertura pode ser simplesmente fechada não liberando o dinheiro pelo falso dispositivo ou pode vir com uma espécie de cola para prender o dinheiro antes da sua saída do terminal. Geralmente a pessoa pensa que é um problema do terminal e vai embora da agência. Em todos os casos o terminal vai informar que o saque foi realizado com sucesso, porém o dinheiro não sairá. Na sequência os suspeitos deixam a agência e ficam do lado de fora esperando os clientes usarem os caixas na certeza das notas ficarem retidas para posteriormente retornarem e roubar o dinheiro dos clientes.

Como se proteger:
Se o saque for completado e as cédulas não saírem, desconfie. As cédulas só são retidas numa única operação, daí a preocupação dos bandidos em retirar o dinheiro o mais rápido possível e, caso um terminal retenha o dinheiro entre em contato com o banco através do SAC – Serviço de Atendimento ao Cliente (geralmente a instituição financeira manda um funcionário de segurança privada imediatamente ao local verificar o que está ocorrendo com o terminal), funcionário credenciado ou para a polícia militar através do número 190. Lembre-se que os bandidos podem estar de fora da agência, por isso é importante sempre que possível, fazer seus saques no horário comercial, quando o movimento de pessoas é maior, evitando o período noturno. Quando precisar realmente sacar dinheiro à noite, leve um ou mais acompanhantes adultos para que fiquem fora da cabine, como se estivessem na fila;

OUTRAS DICAS IMPORTANTES:
Se o golpe acontecer durante o expediente bancário, o cliente deve procurar ajuda dos funcionários da agência, que geralmente estão uniformizados e com crachá e se for fora do expediente, devem ligar para os telefones de atendimento.

É sempre com ter anotado o telefone do SAC – Serviço de Atendimento ao Cliente do seu banco para ligar caso se depare com um tipo de ocorrência suspeita ou estanha. A FEBRABAN disponibiliza em seu site uma seção que oferece aos usuários o número de todos os bancos através do site: http://www.febraban.org.br/atendimento_bco.asp

Antes de iniciar a transação, verifique na tela se o equipamento está ativo ou inoperante. Caso esteja inoperante, não insira seu cartão;

Se o caixa eletrônico ou equipamento do banco no comércio estiver inoperante, não aceite oferta de estranhos de passar seu cartão em terminal avulso, mesmo que se apresentem como funcionários do banco. Fraudadores têm utilizado esse golpe para clonar (copiar os dados) cartões e obter senhas;

Ao digitar sua senha, mantenha o corpo próximo à máquina, para evitar que outros possam vê-la ou descobri-la pelo movimento dos dedos no teclado. As pessoas atrás de você devem respeitar as faixas de segurança;

Prefira utilizar os caixas automáticos instalados em locais de grande movimentação e, se possível, em ambientes internos (shoppings, lojas de conveniência, postos de gasolina etc.);

Nunca aceite ou solicite ajuda de estranhos, mesmo que não lhe pareçam suspeitos;

Caso não consiga concluir uma operação, aperte a tecla ANULA ou CANCELA;

Cuidado ao utilizar telefones de terceiros desconhecidos, especialmente os celulares, para comunicar-se com o banco, pois os dados de sua conta e senha ficam registrados na memória do aparelho. Além disso, você poderá não estar falando com representante do banco;

Desconfie de vantagens financeiras ou dramas familiares que lhe sejam apresentados por desconhecidos na fila do caixa automático, especialmente propostas de utilização de sua conta para transferência de valores.

Shareaholic