domingo, 31 de maio de 2015

Bate Papo Dida de Nan

Nascido em 7 de março de 1961 criado na Zona Rural de Santa Cruz do Capibaribe, um dos 8 filhos do casal José Henrique Ramos sobrinho e Maria do Socorro Queiróz Ramos, ligado à política e cultura do município, apaixonado por futebol, estrada, vaquejada e forró, José Raimundo Ramos, ou simplesmente Dida de Nan, foi o convidado do “Bate-Papo Direto ao Ponto”, dessa quarta-feira (28).
O apelido foi dado pelo pai, que desde cedo começou a chamar o filho mais velho de Dida. Logo, todos seguiram. O sítio ‘Carreira de Pedra’ tem o rastro de Dida. Lugar onde estudou, brincou e cuidou também dos irmãos. Tem fama de ‘mandão’ entre os irmãos.
“Minha infância foi de muita alegria, mas também de muito trabalho. Quem foi criado na zona rural sabe que é diferente e o pai pegava no pé mesmo para trabalhar. Mas dava pra conciliar com as brincadeiras, jogar bola desde pequeno com amigos que vamos levar para o resto da vida”, conta.
Mãe/professora e os meios de transporte para a escola
Maria do Socorro Queiróz Ramos foi sua professora até a quarta série. Assim como a Dida, ensinou a todos os outros filhos durante esse período de colégio. “Com um tempo ela se aposentou e eu dei aula um tempo de primeira a quarta série, substituindo”, relembra.
Com o tempo, para complemento do ensino médio, apenas no distrito de Poço Fundo. O meio de transporte era um só. E não tinha motor, nem rodas.... “Era puxado. Trabalhava o dia inteiro e a noite ia para escola de cavalo. Eu levava uma irmã e meus irmãos iam em outro cavalo”, conta afirmando que uma das irmãs, não gostava muito dos estudos, mas seguindo a severidade da mãe não faltava.
O destino reservou para a irmã que pouco gostava de estudar, um futuro acadêmico e se tornar diretora de escola pública. Cristiane, irmã de Dida é diretora da escola Professora Maria José, no distrito de Poço fundo.
Tempos depois, o senhor José Henrique Ramos foi responsável por levar os jovens estudantes dos sítios próximos ao colégio do distrito vizinho, num Fiat 147, como lembra Dida.
Carreira Música
Forrozeiro desde muito cedo, tem na sanfona um carinho imenso. É fã do cantor Jorge de Altinho de quem guarda na mente um momento marcante.  juntamente com Dedé Sanfoneiro, já falecido, lembra do ultimo são João realizado na gestão de Ernando Silvestre, onde teve a oportunidade de abrir o Show para o ídolo.
Como tudo começou – “Tem um amigo Germano que morava em Tabocas e quando mudou para o sítio trouxe uma sanfona 80 baixos preta muito bonita e eu acompanhava ele no triângulo e zabumba e comecei a ensaiar cantando mesmo. Depois ele parou e eu dei continuidade”, diz.
A banda e as aventuras - A primeira banda tinha seu irmão Bideca e os amigos Ricardo e Paulinho. Este último tocava Zabumba e Dida conta um sufoco que o mesmo passou em certo forró no sítio. Em meio a uma confusão, o zabumbeiro tentou correr e travou o instrumento na janela, imaginando que fosse alguém lhe segurando.
“Forró vez em quando tem uma confusão e o Paulinho tentou sair, mas com a zabumba nas costas não passou na janela e ele ficou gritando ‘me solta, me solta’, mas não tinha ninguém apenas a passagem que era estreita”, diz aos risos.
Dia Inesquecível – Momento marcante de sua carreira como forrozeiro, encontra-se nos festejos juninos de 1999. Quando, ao lado do seu amigo já falecido, sanfoneiro Dedé, fez a abertura do Show de Jorge de Altinho e foi confundido com o fã. “Nós íamos tocar no circo do forró, mas a primeira banda no palco principal teve um problema em Taquaritinga do Norte e teve que ser alterado”, diz e prossegue. “E Dedé tocava no tom do CD e o cantor que se virasse. Ele fez uma sequência de introdução de Jorge de Altinho que parecia demais com apropria banda do cantor e quando eu comecei a cantar pensaram que era mesmo Jorge no palco. Tenho uma fotografia desse dia, tirada por Robério Sousa (já falecido) deste dia. Foi inesquecível”, conta.
Dida de Nan tem três CD’s gravados e hoje conta com o próprio Studio em casa, que lhe serve para ensaios.
Na sulanca e na estrada
Como grande parte da população da Capital das Confecções, Dida também foi sulanqueiro. Vendeu confecções nas famosas Rua Nova e Cabo Otávio, quando a feira ainda era no Centro da Cidade.
Nas estradas, foi trabalhar por influencia de familiares que fazem viagens constantes, em carretas, para o interior paulista. Principalmente São Bernardo do Campo.
“Paulo de Vigário, meu primo, tinha caminhão e já viajava. Pedi ao meu pai e fui. Depois Pedro e João de Vigário também muito me ajudaram. Até Bibiu de Vigário que me vendeu um caminhão para pagar aos poucos, coisa de pai mesmo. São tempos que tenho saudade, sempre achei muito bonito um caminhão na estrada”, fala.
Namoradas e namoradas...
Com um perfil de forrozeiro, caminhoneiro e dentro de vaquejada, Dida conta que sua juventude foi marcada por namoricos. Com um coração muito grande, como conta, chegou a ter quatro namoradas de forma simultânea.
“Naquele tempo, namorava muito mesmo. Só não podia ‘mexer’ com as meninas que tinha que casar. E casava mesmo como aconteceu com meu irmão, Bideca. Lembro que até a data do meu casamento, tenho uma prima em Poço Fundo que ela anotava, eu consegui namorar com 112 meninas”, conta.
“Eu viajava e tinha uma namorada em Jataúba, uma em São Paulo, outra no sítio (atual esposa) e mais uma em João Pessoa. Mas eu gostava de todo mundo, o coração era imenso”, diz aos risos.
Atualmente ele é casado e tem dois filhos.
Vida na política
Primeiro os jingles... - Antes de encarar as urnas, Dida de Nan já era conhecido no meio político, por compor músicas para diversos candidatos. João Januário, Augustinho Rufino, Zilda Moraes, além do padre Zuzinha, foram alguns dos que tiveram musicas compostas por ele.
“Os adversário do padre chamavam ele de fuscão preto e a música de Almir Rogério estava em alta e fiz uma resposta que fez muito sucesso e deu certo”, lembra. “No tempo com os comícios que sempre deu muita gente, e cantava mesmo no palaque. Além disso, têm outras músicas que foram compostas por mim, mas cantada por outras pessoas”.
Depois o desafio - Entrada na política de fato...
Em meio ao ano de 1996, trabalhando nas estradas entre Pernambuco e São Paulo, Dida chega em sua terra, no Distrito de Poço Fundo, e se depara com cartazes em alguns postes, com o escrito “Dida 96”. Foi a porta de entrada para a disputa a primeira eleição para vereador.
1996 – Foi eleito vereador, pela primeira vez com 846 votos. No pleito Ernando Silvestre foi eleito prefeito contra padre Bianchi.
2000 – Recebeu 854 votos mas e não foi eleito por causa do consciente eleitoral. Teve que ver vereadores com 750 e 650 votos com a vaga na Câmara municipal. Para prefeito José Augusto vencia Ernando Silvestre e chagava ao Palácio Brás de Lira.
2004 – A tentativa como vice de Dr.Nanau fracassou. Teve que ver José Augusto ser reeleito.
2008 – Nova derrota como vice, agora de Edson Vieira. Desta vez Toinho do Pará foi eleito para gerir o município.
2012 - Eleito para o segundo mandato na Casa José Vieira de Araújo com 1.845 voto
Jogo rápido
Padre Zuzinha – Uma santidade
Augustinho Rufino – Merece todo respeito
Ernando Silvestre – Um amigão
Zé Augusto – Teve seu trabalho, mas se tempo passou
Afrânio Marques – Professor. Presidente que tá fazendo um bom trabalho
Carlinhos da Cohab – Grita muito
Ernesto Maia – Perdeu muito no seu grupo
Dimas Dantas – Poderia ser mais inteligente
Edson Vieira – Super inteligente
Dida de Nan – Lutador pela vida e respeitador
Santa Cruz do Capibaribe – Minha terra querida, que amo e quero

Fonte: Blog direto ao ponto

Nono dígito no celular começa a valer neste domingo para Pernambuco

Foto: Divulgação.

As ligações para celulares de Pernambuco, além de outros estados como: Alagoas, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará e Piauí terão que incluir o nono dígito a partir deste domingo (31). A medida, que já vale para outros estados, consiste em digitar 9 antes dos outros oito números do telefone.

Essa regra vale tanto para chamadas feitas a partir de telefones fixos, públicos ou privados, quanto de outros celulares, independente da operadora e do local de onde a pessoa está ligando. Também será preciso incluir o nono dígito para enviar mensagens de texto. Já as ligações para telefones fixos nesses estados não mudam.

De acordo com a Anatel, haverá um período de transição, que vai até 9 de junho, em que as chamadas para os celulares daqueles cinco estados serão completadas digitando-se oito ou nove números. Entre 10 de junho e 9 de julho, quem discar apenas os oito dígitos passará a ouvir uma mensagem sobre a mudança. A partir de 10 de julho, apenas as chamadas com nono dígito serão completadas.

O plano da Anatel prevê que até 2016 todos os celulares do país terão o nono dígito.

HOMEM É ASSASSINADO QUANDO CHEGAVA EM SÃO BENTO DO UNA


Um homem foi morto a tiros na porta de sua casa, na madrugada desse sábado (30), no bairro Rua Nova em São Bento do Una, no Agreste de Pernambuco.

De acordo com informações da Polícia Militar, José Luciano Melo, de 33 anos, estava bebendo em um bar que fica atrás de sua residência, quando por volta das 03h30mim, ao chegar e descer de sua moto, foi atingido por vários disparos de arma de fogo.


A esposa da vítima informou a PM que escutou o barulho da moto quando seu marido chegou em casa e o momento que Luciano pediu para que o autor não atirasse. Após os disparos, ela saiu pra fora e encontrou seu marido ferido no chão, mas não viu mais ninguém próximo ao local. A vítima não resistiu aos ferimentos e morreu no local. A polícia investiga o caso. O corpo de Luciano foi encaminhado para o Instituto de Medicina Legal de Caruaru, também no Agreste.

Com informações da TV SBUNA

Condutor perde o controle do veículo e três pessoas ficam gravemente feridas na PE-160

Um grave acidente aconteceu na manhã deste sábado (30) na divisa entre o distrito de Pão de Açúcar e o município de Toritama.

Segundo informações, o veículo estava sendo conduzido pelo filho do proprietário do carro, que não quis guiar por estar alcoolizado. No veículo também estaria uma criança de idade não informada.

O condutor perdeu o controle do veículo na entrada de Pão de Açúcar, distrito de Taquaritinga do Norte, onde veio a capotar o Kadet de cor azul e placa KJC-1859. Na oportunidade, o idoso que é proprietário do veículo identificado por João Timóteo dos Santos (74 anos) teve fratura no braço direito, além de vários ferimentos pelo corpo e principalmente na cabeça.

Todos que estavam no veículo foram socorridos e encaminhados para o Hospital Municipal de Santa Cruz do Capibaribe.

Bom dia!

O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis.

Festival Biu e Gogó de Quadrilhas de Rua 2015 será iniciado nesta terça

A partir da próxima terça-feira, 02 de junho, a alegria, animação e o acorde da sanfona do Festival Biu e Gogó de Quadrilhas de Rua, tomarão conta de toda a cidade de Santa Cruz do Capibaribe, Agreste de Pernambuco.

A conhecida Rua Quatro, via em que morava Dona Ivone (in memoriam), grande incentivadora e participante da cultura de quadrilhas que é a homenageada da edição de 2015 do festival, será o palco da abertura da festa que até o dia 19 de junho, passará por diversos bairros santa-cruzenses.

“Durante 17 dias, o Festival Biu e Gogó de Quadrilhas de Rua que já se consolidou como a grande preparação para o São João da Moda, esquentará o clima junino por todos os bairros da cidade”, ressaltou o gestor de Cultura Gilberto Geraldo.

A Zona Rural de Santa Cruz do Capibaribe também será contemplada com a animação das quadrilhas juninas, com a realização de festejos nos distritos de Pará e Poço Fundo, além dos sítios vizinhos. 

Shareaholic