terça-feira, 6 de novembro de 2012


Profissionais que trabalham no Hospital Municipal sofrem com cortes nos salários


Cópia de documento recebido por funcionários do Hospital Municipal, discriminando os cortes nos salários.

O blog do Ney Lima esteve na tarde de hoje, no Hospital Municipal e recebeu diversas denúncias de funcionários, que alegaram que tiveram seus salários cortados. São Recepcionistas, Técnicos de Enfermagem, Técnicos de Laboratório entre outros, que tiveram gratificações, horas extras e outros benefícios cortados para que a prefeitura atenda a Lei de Responsabilidade fiscal.

Na manhã de hoje também foi constatado que o hospital, por falta de técnicos de enfermagem, estava apenas atendendo a serviços de urgência e emergência, problema esse que foi resolvido à tarde.

Segundo Maria do Socorro da Conceição, técnica de enfermagem, “me deparei com parte do meu salário faltando. Aqui no hospital estava uma maior revolução, porque alguns funcionários foram descontados em 200, 300, até 1400 reais”, destaca a funcionária.

A técnica alegou que funcionários foram a Secretaria de Saúde para pedir dos contra-cheques para ver de onde eram originados tais descontos e esses contra-cheques não foram fornecidos. Elessó seriam liberados mediante autorização da Secretária de Saúde, Maria Izalta.

O que os funcionários receberam foi um documento assinado pelo prefeito Toinho do Pará (PTB), mostrando de onde é que foram originados esses descontos. Ainda segundo a técnica, funcionários chegaram a ir ao gabinete do prefeito e ela afirmou que os mesmos não foram recebidos.

Auxiliar de Serviços Gerais ocupou lugar de recepcionista hoje


Outro fato que chamou a atenção foi à falta de recepcionista no Hospital, onde hoje estava no lugar uma auxiliar de serviços gerais, local que deveria haver dois profissionais nessa área.

Sobre o caso da recepcionista, vaga ocupada por uma auxiliar de serviços gerais, a diretora do Hospital Municipal, Ana Ramos, afirmou que a mesma foi colocada devido ao fato de que uma das recepcionistas que daria plantão hoje se encontra de licença médica e a outra está de folga, pois trabalhou sozinha no plantão anterior.

Ela afirmou também que tentou negociar com outros recepcionistas para que ocupassem as vagas de hoje, mas que não teve êxito, o que a levou a colocar a auxiliar de serviços gerais na recepção.

“Essa pessoa, ela é concursada como serviços gerais. Ela estava à disposição, sabe fazer ficha, sabe trabalhar na recepção e então eu a chamei para ela substituir e assim a gente não fechar o plantão”, enfatizou.

Sobre os médicos plantonistas, Ana afirmou que está com dificuldades de encontrar profissionais para a terça-feira, mas que teve uma reunião com a empresa fornecedora de médicos e que foi garantido que haverá medico para amanhã.

Sobre os cortes, Ana Ramos afirmou que conhece do fato e que vai ter uma reunião com a Secretária de Saúde para falar sobre o caso e que, caso ela também sofra com esses cortes, ela afirmou que irá trabalhar normalmente até o dia 31 de Dezembro.

“É um compromisso que tenho”, destacou

Shareaholic