sexta-feira, 13 de abril de 2012

Vamos pesquisar?

Ser as eleições fosse hoje. Em que você votaria pra prefeito de santa cruz do Capibaribe – PE
Cleiton Barbosa do PV ou Edson vieira do PSDB Ou no candidato do grupo taboquinha que entre eles estão na briga Dr. Nana, Ernesto maia, frenado Aragão, José Elias. Em que você votaria?


Foto: Reprodução/Internet


Falta de chuva bota o Nordeste em estado de emergência


Todos os estados são atingidos. Pernambuco, Piauí, Sergipe, Alagoas, Ceará, Bahia, Paraíba e Rio Grande do Norte. Pernambuco tem a terceira pior situação do Nordeste.


Pressão por juro baixa leva o governo ao confronto com os bancos

Baixar juros na Caixa e no Banco do Brasil não está sendo suficiente para domar os bancos privados. Eles pedem outras vantagens ao governo e o ministro Mântega não vê razão para ceder.


A CPI de Cachoeira

A relatoria caiu forçada no colo de Humberto Costa. Ninguém queria ficar com o cargo mais importante da CPI.


A preocupação com o efeito colateral

O vale tudo da CPI pode chegar ao efeito bosta no ventilador e trazer de volta Waldomiro Diniz, caixa dois e mensalão.


Denúncia envolve empresa de grandes negócios com o governo

Desde ontem circulam gravações da Polícia Federal, mostrando o presidente da construtora Delta, cobrando de auxiliares de Cachoeira, dinheiro de obras feitas para o estado do Rio. A Delta é também uma das principais construtoras do PAC. No ano passado ela recebeu da União quase 1 bilhão de reais. Numa das gravações, Cláudio Abréu cobra de um auxiliar de Cachoeira, interferência para a empresa receber dinheiro do governo de Brasília.



Foto: Reprodução/Internet


A vitória da cachaça

Quem levou a melhor no encontro entre Dilma e Obama foi a cachaça brasileira. Termina a briga México, Cuba e Brasil. O mundo agora sabe que cachaça é uma marca nossa e as mais de cinco mil que produzimos serão vendidas para o mundo todo com esse título.



Foto: Divulgação


Morre atriz da Record

Marly Bueno, que estava na série Rei David, morreu ontem aos 78 anos de idade. Ela foi vitma de complicações de uma cirurgia.


Sai relação das piores profissões do mundo

Os jornalistas ganharam o quinto lugar. A pesquisa levou em conta: salário, ambiente de trabalho, estresse, perspectivas e esforço físico. A pior de todas as profissões é madeireiro; a segunda é produtor de leite; a terceira é soldado; a quarta é operador de plataforma de petróleo. No topo, como melhor profissão do mundo, ficou engenheiro de software. Depois vieram: administrador de risco financeiro; gerente de HR e dentista.


Vamos pesquisar?

Qual é a sua profissão? Você está satisfeito com ela? SIM ou NÃO! Responda no site www.budeganordestina.com


Falta médico em Caruaru

Falta médico em Caruaru, para contratação pela prefeitura e falta médico em todo canto. O governo quer médico de fora para trabalhar no Brasil. Principalmente cubanos e bolivianos. Muitos entram aqui e trabalham na ilegalidade. Na próxima segunda-feira, um grande debate sobre formação e regularização de médicos.



Foto: José Cruz/Agência Brasil


Aborto permitido

O Supremo decidiu por ampla maioria, que a criança sem cébro pode ser abortada. No voto do presidente Aires Brito ele explicou: a mulher não é obrigada a abortar, mas pode fazer legalmente o aborto se fizer essa opção.


Carne das mulheres mortas era usada em lanches

Além de esquartejar, o grupo comia partes dos corpos das vítimas e também recheava empadas que eram vendidas em Garanhuns. O trio cozinhava a carne em água e sal e transformava em alimento, inclusive para a criança de 5 anos. A polícia também descobriu que foram 7 e não duas vítimas do trio. O primeiro homicídio foi cometido em Olinda, em 2008, e teve como vítima Jéssica Camila da Silva Pereira. Assim, a polícia também descobriu que a acusada de 25 anos se chama, na verdade, Bruna Cristina Oliveira da Silva. As mulheres mortas eram atraídas com a promessa de emprego de babá. O trio falou ainda de uma seita chamada Cartel e dos rituais de purificação e do ódio à mulheres com muitos filhos. A menina de 5 anos está no Conselho Tutelar de Garanhuns a espera de familiares da mãe biológica. O delegado responsável pelo caso, Wesley Fernandes, explica que a criança teve papel fundamental no desfecho do caso. Revoltados, populares saquearam e incendiaram a casa dos acusados. A polícia foi acionada e conseguiu recuperar alguns eletrodomésticos e 4 suspeitos foram parar na delegacia.


Primeira morte por dengue confirmada

Um homem de 32 anos, morador de Jaboatão, morreu no último dia 26 de março por conta da dengue hemorrágica. Esse é o primeiro caso confirmado em 2012. A morte deixou em alerta as autoridades sanitárias do Estado, que investiga outras 21 mortes. Até agora foram notificados 103 casos graves, com complicação ou hemorrágica, sendo 18 confirmados. Em Jaboatão, mais de mil casos estão sob suspeita da doença. Claudenice Pontes, coordenadora Estadual de Prevenção e Combate a Dengue, conta que o número está aumentando principalmente na Região Metropolitana do Recife.



Preso suspeitos de golpes contra bancos

Cícera Ferreira dos Santos, de 42 anos, Luciano Ramalho da Silva, 35 anos, e Jaédson Barros Morais, de 25 anos, foram presos em Surubim suspeitos dos golpes. Eles são acusados de fraudes em empréstimos bancários. Segundo a polícia, eles se passariam por beneficiários do INSS e usavam documentos falsos. A estimativa da polícia é que o prejuízo causado pela quadrilha chegue a 300 mil reais. O trio vai responder por formação de quadrilha, estelionato, uso de documento falso e falsificação de documentos.


Recife canta Gonzaga

O projeto conta com exposição e shows em homenagem ao centenário de Luiz Gonzaga. Entre os artistas que vão se apresentar, Irah Caldeira, Joquinha Gonzaga, Alcimar Monteiro e Cezinha. Os shows acontecem durante todas as sextas e sábados de abril e começam sempre às 19h. Hoje, na Praça do Arsenal, Beto Hortis, às 20h, e Santana às 21h30. Amanhã, Joquinha Gonzaga às 8 da noite e Novinho da Paraíba às 9 e meia.


Bancos vão adotar medidas de segurança

A Federação Nacional dos Bancos assinou Termo de Ajustamento de Conduta com o Ministério Público para cumprir legislação nas agências do Recife. Uma das novidades é a criação de um selo para os locais onde as regras de segurança são cumpridas. O Procon Recife já realizou várias vistorias, identificou problemas e notificou agências. As multas ultrapassam 11 milhões de reais, mas não foram pagas por causa de manobras judicias.


Mais uma obra parada

Funcionários das obras na Arena Fonte Nova, na Bahia, decidiram entrar em greve por tempo indeterminado. Eles cobram melhorias no reajuste salarial. Funcionários das arenas de Natal e Fortaleza estão em greve há 11 dias.


Flamengo vence mas não avança às oitavas

O time venceu por 3 a 0, mas precisava de um empate entre Olimpia e Emelec. Mas o Emelec fez um jogo histórico e venceu de virada no final da partida.



Pressão e desfalques na Ilha do Retiro

Além da pressão e com o cargo em risco, o técnino Mazola Júnior não terá três jogadores para o clássico de domingo contra o Santa.


E o resultado da pesquisa?

Perguntamos no site www.geraldofreire.com.br: O Sport deve continuar testando Mazola ou a paciência já acabou? Mais de 61% dos votantes quer a saída do treinador.


Mais um vexame

Agora foi a vez do Náutico fazer vergonha na Copa do Brasil. O time perdeu de 4x0 pro Fortaleza e agora precisa de um milagre nos Aflitos para seguir competição.


Supremo Tribunal Federal discriminaliza aborto para os casos de gestante com bebê sem cérebro

Blogueiro desabafa no facebook

Ainda chateado com as palavras do deputado estadual Edson Vieira, que na manhã desta quarta-feira (11), no “Enfoque Político” da Polo FM (www.polofm.com.br), atribuiu culpa a Pablo pela polêmica envolvendo o PSDB e o PV, que tiveram os nomes envolvidos em uma suposta aliança forçosa, que aconteceria através da intervenção do diretório estadual do PV, a pedido de Edson, em favor de sua candidatura. Para Edson, Pablo trabalha para Ernesto Maia, por esse fato postou em seu blog uma noticia, que para ele, tem por objetivo tumultuar o processo eleitoral.

O blogueiro Pablo Ricardo soltou o verbo em seu facebook e fez uma postagem nada “carinhosa”, com endereço certo, ainda na noite de quarta.

Segue abaixo a postagem:

Pablo Ricardo

“Tem certos políticos que não deveriam ser chamados de políticos. Falta de pulso, falta de coragem, medroso, mentiroso. São verdadeiros MENINOS na política, por isso que não ganham nada. . .”

Supremo decide por 8 a 2 que aborto de feto sem cérebro não é crime

Após dois dias de debate, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta quinta-feira (12) que grávidas de fetos sem cérebro poderão optar por interromper a gestação com assistência médica. Por 8 votos a 2, os ministros definiram que o aborto em caso de anencefalia não é crime.


O Código Penal criminaliza o aborto, com exceção aos casos de estupro e de risco à vida da mãe, e não cita a interrupção da gravidez de feto anencéfalo. Para a maioria do plenário do STF, obrigar a mulher manter a gravidez diante do diagnóstico de anencefalia implica em risco à saúde física e psicológica. Aliado ao sofrimento da gestante, o principal argumento para permitir a interrupção da gestação nesses casos foi a impossibilidade de sobrevida do feto fora do útero.


“Aborto é crime contra a vida. Tutela-se a vida em potencial. No caso do anencéfalo, não existe vida possível. O feto anencéfalo é biologicamente vivo, por ser formado por células vivas, e juridicamente morto, não gozando de proteção estatal. [...] O anencéfalo jamais se tornará uma pessoa. Em síntese, não se cuida de vida em potencial, mas de morte segura. Anencefalia é incompatível com a vida”, afirmou o relator da ação, ministro Marco Aurélio Mello.



Impedir a interrupção da gravidez sob ameaça penal equivale à tortura"

Luiz Fux, ministro do STF

Ao final do julgamento, uma manifestante se exaltou e os ministros deixaram o plenário enquanto ela gritava palavras de ordem. "Eu tenho vergonha. Hoje para mim foi rasgada a Carta Magna. Se ela não protege os indefesos, que dirá a nós", disse Maria Angélica de Oliveira Farias, advogada e participante de uma associação de espíritas.


O voto do ministro Marco Aurélio foi acompanhado pelos ministros Ayres Britto, Luiz Fux, Joaquim Barbosa, Rosa Weber, Gilmar Mendes, Cármen Lúcia e Celso de Mello. Ricardo Lewandowski e Cezar Peluso, presidente da corte, foram contra. O caso foi julgado por 10 dos 11 ministros que compõem a Corte. Dias Toffoli não participou porque se declarou impedido, já que, quando era advogado-geral da União, se manifestou publicamente sobre o tema, a favor do aborto de fetos sem cérebro.


"Um bebê anencéfalo é geralmente cego, surdo, inconsciente e incapaz de sentir dor. Apesar de que alguns indivíduos com anencefalia possam viver por minutos, a falta de um cérebro descarta complementamente qualquer possibilidade de haver consciência. [...] Impedir a interrupção da gravidez sob ameaça penal equivale à tortura”, disse o ministro Luiz Fux.


O entendimento do Supremo valerá para todos os casos semelhantes, e os demais órgãos do Poder Público estão obrigados a respeitá-lo. Em caso de recusa à aplicação da decisão, a mulher pode recorrer à Justiça para interromper a gravidez.



A decisão foi tomada pelo STF ao analisar ação proposta em 2004 pela Confederação Nacional dos Trabalhadores na Saúde, que pediu ao Supremo a permissão para, em caso de anencefalia, ser interrompida a gravidez.


Os ministros se preocuparam em ressaltar que o entendimento não autoriza “práticas abortivas”, nem obriga a interrupção da gravidez de anencéfalo. Apenas dá à mulher a possibilidade de escolher ou não o aborto em casos de anencefalia.


“Faço questão de frisar que este Supremo Tribunal Federal não está decidindo permitir o aborto. [...] Não se cuida aqui de obrigar. Estamos deliberando sobre a possibilidade jurídica de um médico ajudar uma pessoa que esteja grávida de feto anencéfalo de ter a liberdade de seguir o que achar o melhor caminho”, disse Cármen Lúcia.


O ministro Marco Aurélio Mello, que relatou a ação que pediu liberação do aborto para feto anencéfalo (Foto: Fellipe Sampaio / SCO / STF )O ministro Marco Aurélio Mello, que relatou a ação
que pediu liberação do aborto para feto anencéfalo
(Foto: Fellipe Sampaio / SCO / STF )

Julgamento
O julgamento começou na manhã desta quarta-feira (11) e cerca de sete horas depois foi interrompido quando já havia cinco votos favoráveis à permissão de aborto de anencéfalos.


O primeiro dia foi marcado por vigílias de grupos religiosos e de defesa da vida e pela presença, no plenário, de mulheres que sofreram gravidez de feto anencéfalo e de uma criança que chegou a ser diagnosticadascom a doença e sobreviveu após o parto. A sessão foi retomada na tarde desta quinta com o voto do ministro Ayres Britto, em defesa do aborto diante do diagnóstico de anencefalia. Foram mais de seis horas de julgamento nesta quinta - cerca de 13 horas de debates no total.


“[O aborto do feto anencéfalo] é um direito que tem a mulher de interromper uma gravidez que trai até mesmo a ideia-força que exprime a locução ‘dar à luz’. Dar à luz é dar à vida e não dar à morte. É como se fosse uma gravidez que impedisse o rio de ser corrente”, afirmou o ministro Ayres Britto, cujo voto definiu a maioria dos ministros a favor do aborto de feto anencéfalo.


Celso de Melo destacou que a gravidez de anencéfalo "não pode ser taxada de aborto". "O crime de aborto pressupõe gravidez em curso e que o feto esteja vivo. E mais, a morte do feto vivo tem que ser resultado direto e imediato das manobras abortivas. [...] A interrupção da gravidez em decorrência da anencefalia não satisfaz esses elementos."


Tema controverso
O pedido da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Saúde foi atendido pelo STF após oito anos de tramitação do processo. Em 2004, o relator chegou a liberar o aborto de anencéfalos em decisão liminar (provisória), que meses depois foi derrubada pelo plenário. Em 2008, audiências públicas reuniram cientistas, médicos, religiosos e entidades da sociedade civil para discutir o tema controverso.



No feto anencefálico, o cérebro sequer começa a funcionar. Então não há vida em sentido técnico e jurídico. De aborto não se trata"

Luís Roberto Barroso, advogado que defendeu a interrupção da gravidez de anencéfalo no plenário do STF

Para a entidade, não se trata de aborto, mas da “antecipação terapêutica do parto”, diante da inviabilidade de sobrevivência do feto.


"A interrupção nesses casos não é aborto. Então, não se enquadra na definição de aborto do Código Penal. O feto anencefálico não terá vida extra-uterina. No feto anencefálico, o cérebro sequer começa a funcionar. Então não há vida em sentido técnico e jurídico. De aborto não se trata", afirmou o advogado da entidade, Luís Roberto Barroso durante sua sustentação oral no plenário do STF.


Entidades religiosas
O ministro Gilmar Mendes criticou a opção do relator por não incluir como partes da ação entidades religiosas. Para ele, o debate precisava ser “desemocionalizado”.


“Essas entidades são quase que colocadas no banco dos réus como se tivessem fazendo algo de indevido e não estão. É preciso ter muito cuidado com esse tipo de delírio desses faniquitos anticlericais”, afirmou Mendes.



No caso de extermínio do anencéfalo encena-se a atuação avassaladora do ser poderoso superior que, detentor de toda força, infringe a pena de morte a um incapaz de prescendir à agressão e de esboçar-lhe qualquer defesa"

Cezar Peluso, presidente do STF

Divergência
Apenas os ministros Ricardo Lewandowski e Cezar Peluso se manifestaram contra o aborto de fetos sem cérebro, entre os dez que analisaram o tema.


Para Lewandowski, o Supremo não pode interpretar a lei com a intenção de “inserir conteúdos”, sob pena de “usurpar” o poder do Legislativo, que atua na representação direta do povo. Ele afirmou que o assunto e suas conseqüências ainda precisam ser debatidos pelos parlamantares.


"Uma decisão judicial isentando de sanção o aborto de fetos anencéfalos, ao arrepio da legislação existente, além de discutível do ponto de vista científico, abriria as portas para a interrupção de gestações de inúmeros embriões que sofrem ou viriam sofrer outras doenças genéticas ou adquiridas que de algum modo levariam ao encurtamento de sua vida intra ou extra-uterina", disse.


O presidente do Supremo, ministro Cezar Peluso, que se manifestou contra o aborto de feto sem cérebro (Foto: Fellipe Sampaio / SCO / STF)O presidente do Supremo, ministro Cezar Peluso,
que se manifestou contra o aborto de feto sem
cérebro (Foto: Fellipe Sampaio / SCO / STF)

Peluso comparou o aborto de fetos sem cérebro ao racismo e também falou em "extermínio" de anencéfalos. Para o presidente do STF, permitir o aborto de anencéfalo é dar autorização judicial para se cometer um crime.


"Ao feto, reduzido no fim das contas à condição de lixo ou de outra coisa imprestável e incômoda, não é dispensada de nenhum ângulo a menor consideração ética ou jurídica nem reconhecido grau algum da dignidade jurídica que lhe vem da incontestável ascendência e natureza humana. Essa forma de discriminação em nada difere, a meu ver, do racismo e do sexismo e do chamado especismo", disse Peluso.


"Todos esses casos retratam a absurda defesa em absolvição da superioridade de alguns, em regra brancos de estirpe ariana, homens e ser humanos, sobre outros, negros, judeus, mulheres, e animais. No caso de extermínio do anencéfalo encena-se a atuação avassaladora do ser poderoso superior que, detentor de toda força, infringe a pena de morte a um incapaz de prescendir à agressão e de esboçar-lhe qualquer defesa", completou o presidente do STF, que proferiu seu voto antes de proclamar o resultado do julgamento.


Anencefalia
O relator do caso, ministro Marco Aurélio, citou dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), referentes ao período entre 1993 e 1998, segundo os quais o Brasil é o quarto país no mundo em incidência de anencefalia fetal, atrás de Chile, México e Paraguai. De acordo com o ministro Gilmar Mendes, dos 194 países vinculados à Organização das Nações Unidas (ONU), 94 permitem o aborto quando verificada a ausência parcial ou total de cérebro no feto.


A chamada anencefalia é uma grave malformação fetal que resulta da falha de fechamento do tubo neural (a estrutura que dá origem ao cérebro e a medula espinhal), levando à ausência de cérebro, calota craniana e couro cabeludo. A junção desses problemas impede qualquer possibilidade de o bebê sobreviver, mesmo se chegar a nascer.


Estimativas médicas apontam para uma incidência de aproximadamente um caso a cada mil nascidos vivos no Brasil. Cerca de 50% dos fetos anencéfalos apresenta parada dos batimentos cardíacos fetais antes mesmo do parto, morrendo dentro do útero da gestante, de acordo com dados da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo).

Shareaholic