quinta-feira, 20 de outubro de 2011

I Intensivão revisão para o ENEM 2011

Estimular, rever e valorizar os conhecimentos aprendidos ao longo da trajetória cotidiana e escolar do educando, proporcionando dessa forma uma reflexão de valores e significados de vida.

Sexta (21), a Escola Santo Antonio realizará o primeiro Intensivão ESA. O evento acontecerá na Câmara de Vereadores, onde lá estarão 16 professores dando dicas e revendo conteúdos, estimulando e valorizando os conhecimentos adquiridos ao longo da trajetória escolar dos alunos visando, o ENEM que acontecerá no próximo final de semana. Alem de professores o evento contará com a presença da direção da escola, coordenadores e de dois profissionais de Educação Física que farão sessões de alongamentos e ginástica laboral com os participantes. Tudo isso aliado a mensagens motivacionais e muita descontração.

A ESA também receberá alguns alunos convidados, oriundos de escolas publicas da cidade de Santa Cruz, para fazerem parte desse momento de socialização do conhecimento.

FIEPE divulga nota de apoio ao Polo de Confecções

A Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (FIEPE), na condição de defensora da livre iniciativa e da valorização do trabalho humano e em razão de fatos recentemente divulgados na imprensa nacional sobre a importação de tecidos, vem a público hipotecar apoio e solidariedade ao empresariado do Agreste e reafirmar a relevância do Polo de Confecções, pela sua importância para o desenvolvimento econômico e social da região, contribuindo para o crescimento de Pernambuco.

O Polo do Agreste abrange 11 cidades, concentrando mais de 20 mil empresas industriais e comerciais, 98% delas pequenas e micro, a maioria de base familiar, comprometidas com princípios éticos e com a defesa do meio ambiente.

O crescente dinamismo da região é atestado pelo faturamento médio anual de R$ 2,8 bilhões e pela geração de mais de 150 mil empregos diretos e indiretos, não podendo atitudes individuais prejudicar o trabalho de mais de meio século.

O Sistema FIEPE, vislumbrando as potencialidades da região e a necessidade de interiorização do desenvolvimento, investe maciçamente em programas de formação e capacitação profissional e de desenvolvimento tecnológico e social através de seus órgãos e entidades vinculadas (SESI, SENAI e IEL).

Assim sendo, a FIEPE continuará vigilante em defesa do empresariado e confiante em todos aqueles que contribuem para esse processo de desenvolvimento, na busca de melhores oportunidades para empreendedores e trabalhadores pernambucanos.

Jorge WicksCôrte Real
Diretor-presidente da FIEPE

Lojistas de todo Brasil acreditam na qualidade da confecção produzida no Agreste de Pernambuco

Não param de chegar apoio de lojistas de todo Brasil aos confeccionistas do Polo Têxtil de Pernambuco. A região do Agreste do Estado forma o segundo maior Polo de Confecções do País e possui o diferencial competitivo que é a ótima qualidade dos produtos feitos no local.

O empresário Edinaldo Mariano Alves relata através de e-mail que jamais deixará de vir comprar as roupas produzidas aqui na região. “Eu estou com viagem marcada na próxima semana para o Moda Center Santa Cruz. O grupo de empresários que viajam comigo para o Polo de Confecções de Pernambuco vai continuar indo, pois acreditamos no empreendedorismo sério dos produtores de confecções. Não vamos deixar de dar o nosso apoio neste momento de crise”, afirmou o empresário alagoano.

Homem é encontrado morto em zona rural de Caruaru

Um homem foi assassinado em Caruaru, Agreste pernambucano, nesta quinta-feira (20). Antônio Marcos da Silva, 35 anos, foi encontrado morto em um matagal nas proximidades do Sitio Campo Novo de Cima, Zona rural.

De acordo com informações de familiares, Antônio Marcos saiu logo cedo de sua residência para receber o dinheiro do programa Bolsa Família. A vítima foi executada com três tiros e possuia passagem pela polícia por tráfico de drogas.

Com esse crime sobe para 10 o número de homicidios registrados em Caruaru no mês de outubro.

Saia Rodada é atração na Festa de Aniversário das Rádios Liberdade

Hoje é um grande dia para os ouvintes das Rádios Liberdade de Caruaru. Um encontro imperdível acontece nesta quinta-feira (20), às 21h, no Parque de Eventos Luiz Gonzaga. Trata-se da festa de aniversário dos 46 anos da Rádio Liberdade AM e dos 31 anos da Rádio Liberdade FM.

A atração principal é a banda de Forró Saia Rodada. A apresentação ficará por conta dos comunicadores Júnior Galvão e Luiz Adriano, bem como a participação de toda a equipe Liberdade.

Há mais de quadro décadas a radiodifusão interiorana ganhava um impulso graças ao espírito empreendedor de Luiz José de Lacerda, que já atuava com sucesso nos segmentos de estivas e supermercados.

O empresário apaixonado pelo Central Sport Club via na emissora um meio de divulgar o clube de futebol de seu coração. Primando pela qualidade, a Rádio Liberdade desde cedo assumiu compromissos sociais, levando informação com credibilidade para seus ouvintes através de uma equipe de profissionais competentes.

“O aniversário das Rádios Liberdade representa muito entretenimento, prestação de serviço, muita informação, e muita cumplicidade. E nos resolvemos comemorar com essas pessoas que nos consagram dando a Rádio Liberdade a maior audiência da região. Uma prova disto é que ganhamos mais uma vez a pesquisa IBOPE, e pelo sexto ano consecutivo ganhamos o prêmio TOP Marcas do Jornal Vanguarda”, informou o Gerente Geral das Emissoras, Ivan Feitosa.

O fruto desse esforço é que a emissora aproxima-se de cinco décadas comemorando a liderança de audiência em Caruaru e região. O som da Liberdade chega a mais de dois milhões e meio de ouvintes, em 56 municípios. Acompanhando a evolução tecnológica, a emissora investiu na infraestrutura, atualmente operando através de um transmissor preparado para difundir o sinal digital.

Visionário o empresário Luiz Lacerda consegue a liberação para a implantação da primeira emissora de frequência modulada no interior de Pernambuco. Em 28 de outubro de 1980, era inaugurada a Rádio Liberdade FM.

Ambas emissoras cumprem o seu papel oferecendo a população educação, cultura, esportes, entretenimento, prestação de serviço e outros gêneros de informação dentro de sua grade de programação.

Estudantes de Santa Cruz se mobilizam em favor do Polo de Confecções

O delicado momento porque passa o Polo Têxtil de Pernambuco sensibiliza a classe estudantil. Na tarde da última quarta-feira (19) os estudantes Elton Queiroz e Renata Felix, da Escola Estadual Maria do Socorro, em Santa Cruz do Capibaribe, procuraram a CDL local em busca de apoio para uma mobilização.

Eles estão coordenando movimento em defesa dos mais de 150 mil empregados nas 22 mil empresas de confecção do Agreste. A data será divulgada até o próximo sábado.

Todo mundo vende lixo hospitalar...

Depois das cargas americanas, a todo instante aparece denúncia de uso de lixo hospitalar vindo de outros locais...
São Paulo e Rio de Janeiro também exportaram lixo para outros estados...
Além dos lençóis, apareceram fronhas, jalecos e máscaras.
Em Caruaru falou o advogado Gilberto Lima, que defende o empresário da sujeira, Altair Teixeira de Moura...

Câmara Federal também limpa um sujo...

O Conselho de Ética livrou ontem de todas as acusações o deputado paulista Waldemar Costa Neto...
Costa Neto vem sendo acusado de tudo que acontece de errado na política brasileira, desde a denúncia do mensalão, no primeiro governo de Lula. Até ontem, ele respondia por acusação de traquinagem no Ministério dos Transportes. A partir de hoje não se fala mais nisso.

Supremo Tribunal Federal libera mais um ficha suja para assumir vaga no Senado...

Chegou a vez de Cássio Cunha Lima, do PSDB, ex-governador da Paraíba, que por acusação de uso de poder político estava impedido de assumir a vaga, que estava sendo ocupada até ontem por Wilson Santiago do PMDB...
Pela decisão da noite de ontem no Supremo, Wilson Santiago está fora e entrega a vaga a Cassio Cunha Lima que pode assumir imediatamente.

Comitê Gestor da crise no Pólo Textil fez sua 1ª reunião nesta quarta-feira

O Comitê Gestor formado por empresários do Pólo de Confecções do Agreste com a finalidade de acompanhar os desdobramentos da importação por um empresário cearense de vários contêineres dos EUA contendo lixo hospitalar reuniu-se hoje no Recife pela primeira vez.
Ficou decidido na reunião que a Vigilância Sanitária fiscalizaria todas as importadoras de tecidos da cidade, o que ela já fez nesta quarta-feira, não tendo encontrado nenhuma anormalidade.
Por sua vez, a Vigilância Sanitária do município de Santa Cruz do Capibaribe irá fiscalizar todos os clientes da empresa que importava tecidos usados dos Estados Unidos para vendê-los em retalhos.
O Comitê Gestor chegou à conclusão de que se tratou de um “caso isolado” que não será capaz de macular a idoneidade dos mais de 15 mil comerciantes de tecidos do Pólo Têxtil do Agreste pernambucano, que se estruturou em forma de micro e pequena empresa, gerando cerca de 150 mil empregos naquela região.
A reunião aconteceu na Prefeitura Municipal de Santa Cruz do Capibaribe e contou com a presença do prefeito Antônio Figueiroa (PTB), do presidente da CDL, Fábio Lopes, do diretor de Desenvolvimento e Empreendedorismo da CDL, Bruno Bezerra, da diretora de epidemiologia, Cândida Ribeiro, do coordenador do Departamento de Vigilância Sanitária do município, Pedro Pedrosa, do vereador Fernando Aragão, do representante da Câmara de Vereadores, Dimas Dantas, e do chefe de Gabinete do prefeito, Carlos Lisboa.
Nesta sexta-feira, o Comitê Gestor se reunirá mais uma vez com representantes do Governo do Estado para discutir a elaboração de campanha de mídia para “limpar” a imagem do Pólo em todo território nacional.
Blog do Inaldo Sampaio

NÃO É SÓ EM SANTA CRUZ

Lixo hospitalar dos Estados Unidos é vendido na Capital

A Vigilância Sanitária no Ceará apura denúncia de que um comércio atacadista em Fortaleza estaria vendendo tecido proveniente de lixo hospitalar importado dos Estados Unidos. Pelo menos duas pessoas procuraram o órgão para denunciar a suposta irregularidade.

O tecido deixado para análise na Vigilância Sanitária está com manchas e esparadrapo. O retalho também contém a inscrição do Department of Veterans Affairs (Departamento de Veteranos da Guerra, uma instituição de saúde norte-americana). No tecido, há uma advertência de venda proibida.

A inscrição é a mesma encontrada em parte do lixo hospitalar apreendido em Pernambuco pela Receita Federal, nos últimos dias. Algumas lojas que vendiam o material chegaram a ser interditadas pela Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária (Apevisa).
Uma das pessoas que fizeram a denúncia conversou com O POVO. “Minha mãe faz pintura em tecido e uma amiga indicou que ela comprasse (os retalhos) nesse local, que era mais barato”, conta. A família foi até o comércio atacadista e comprou o tecido, vendido a R$ 3,50 o quilo. A compra foi realizada há mais de um mês.

Embora já tivesse notado as manchas, a mulher só percebeu que poderia se tratar de algo irregular ao assistir na TV uma reportagem sobre o lixo hospitalar vendido em Pernambuco. “Ela assistiu ontem (terça-feira) a matéria e a gente resolveu denunciar”, comenta o filho.

A Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) vai encaminhar o tecido para o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), que irá analisar se a mancha no retalho é sangue. “Foi aberto um processo. Vamos mandar esse material para análise e tentar saber qual a origem dele”, informa a coordenadora de Vigilância Sanitária da Sesa, Gerarda Cunha. Não há um prazo para que o laudo fique pronto.

Se for necessário, será solicitado apoio da Receita e da PF. Ontem, uma equipe da Vigilância Sanitária foi até o comércio atacadista fazer uma vistoria no local. O laudo de inspeção diz que, na loja, “não foram encontrados indícios de importação de tecidos provenientes de hospitais (lixos hospitalares) dos Estados Unidos”. Mesmo assim, as investigações continuam.


Na tarde de ontem, O POVO foi até a sede do comércio atacadista e conversou com os proprietários. Eles confirmaram que a empresa importa tecido dos Estados Unidos, mas negaram vender lixo hospitalar. “A gente importa dessa empresa (norte-americana) há 11 anos. Nunca tivemos nenhum problema”, afirma um deles.

O tecido que a importadora compra dos Estados Unidos chega ao Ceará em navios, dentro de contêineres. “Acontece de vir com mancha, mas é graxa ou um sujo que pega durante o transporte até aqui. Tem nada a ver (com lixo hospitalar”. Quando chega assim, o tecido é vendido por um valor menor.


Fonte: JORNAL O POVO – FORTALEZA-CE

Vista esta camisa

Apresentador da TV Tribuna do Recife chama confecção de Santa Cruz de “Pano de Bunda”

Vi e ouvi agora, o que me deixou indignado, o apresentador do programa Ronda Geral da TV Tribuna- Recife, se referir a confecção de Santa Cruz do Capibaribe de forma preconceituosa e discriminatória. O apresentador ao comentar o caso que está tendo repercussão nacional disse: “Não estamos livre dessas coisas, ou vocês pensam que no shopping não tem roupas com esta marquinha de Santa cruz do Capibaribe?” e ouvindo alguém em seu ponto eletrônico, perguntou: “O Pano de bunda, né?”.
Uma pena que alguns companheiros de imprensa não respeitem nossa história, e não entendam que se tratou de um caso isolado, que está acontecendo não só no pólo de confecções, mas em alguns estados da federação.
Talvez o apresentador desconheça que muitos da capital pernambucana, aqui sobrevivem e criam seus filhos, longe do desemprego e da desgraça social de boa parte dos recifenses. Não temos desemprego, nem famílias vivendo em estado de miserabilidade, fato lamentavelmente comum, não só em Recife, mas nas capitais dos estados brasileiros.
Santa Cruz do Capibaribe tem crescimento econômico e de qualidade de vida, superior ao do Brasil, Pernambuco e Recife. É só olhar os números do IBGE.

Aos empresários de Santa Cruz que investem em alguns órgãos de comunicação Brasil afora (Especialmente em Recife), que passem a olhar em que empresa de comunicação devem depositar sua confiança e sua marca.

Ah, o nome do apresentador é um tal de Eduardo...de que mesmo?
Marcondes Moreno

Armando fala sobre riscos da desindustrialização do Brasil


O senador Armando Monteiro participa, nesta quinta-feira, 20, da solenidade de posse da nova diretoria da FIERN (Federação Nacional da Indústria do Estado do Rio Grande do Norte). O evento acontecerá no Teatro Riachuelo, em Natal/RN, às 20h30min. Além da nova diretoria, tomarão posse os membros do Conselho Fiscal da Federação para o quadriênio 2011–2015.

A convite do presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Andrade, o senador e ex-presidente da CNI participará como expositor da 9ª reunião da diretoria da Confederação que, na ocasião, será realizada em Natal. Armando Monteiro concederá a palestra de abertura abordando “Os riscos da desindustrialização no Brasil”. Já amanha as 11h40 armando monteiro vai concede uma entrevista na radio IGM FM na cidade de santa cruz do Capibaribe

Crédito da foto: Moreira Mariz/divulgação
O futuro de Altair Teixeira de Moura, 46 anos, dono da empresa Império do Forro de Bolso, em Santa Cruz do Capibaribe, está nas mãos da Justiça. É a 3ª Vara Criminal de Caruaru que vai decidir se as investigações ficarão a cargo da Polícia Civil ou da Federal. O delegado Erick Lessa, da 14ª Regional disse ter pedido à Justiça as "medidas necessárias", sem detalhar, no entanto, o que isso representa.

Ao ser indagado se, entre as medidas solicitadas está a prisão preventiva do empresário, o delegado se esquivou. "Todos os pedidos foram encaminhados à Justiça de Pernambuco", resumiu. A decisão deve sair até esta quinta-feira (20).

A Polícia Civil já ouviu quatro funcionários dos galpões, uma prima de Altair e a esposa dele, Maria Neide Teixeira, que representa o filho do casal na sociedade, pois o garoto é menor de idade.

Em depoimento, os funcionários admitiram não utilizar equipamentos de proteção individual, como luvas.

Altair prestou depoimento na 2ª Delegacia de Polícia de Caruaru até o início da noite. Ele despistou a imprensa e saiu pela garagem da unidade. Mais cedo, ele prestou depoimento na Polícia Federal.

Em diligências nas cidades de Santa Cruz do Capibaribe, Toritama e Caruaru, a Polícia Civil encontrou nesta quarta-feira (19) tecidos com inscrições de hospitais, mas não detalhou os nomes das lojas onde o material foi visto.

O inquérito da PF foi aberto na terça-feira (18), no Recife. De acordo com informações da Polícia Federal, ele está sendo tratado como investigado e entregou voluntariamente o seu passaporte.

Em entrevista mais cedo, o advogado de Altair, Guilherme Lima, afirmou a inocência de seu cliente e o colocou como "vítima" da empresa de exportação nos Estadados Unidos, identificada como Texport Inc, de quem compra desde o início das atividades da empresa, em 2009. O advogado garantiu que o lixo hospitalar encontrado em dois contêiners na semana passada vieram "por engano". "Foi constatado pelo importador que aquele lixo hospitalar não foi comprado por ele. Aquilo não é dele. Na verdade, ele fez uma encomenda à empresa exportadora de tecidos novos. Aquilo que se encontra dentro dos contêineres, ou foi engano ou alguma outra coisa. (Mas) não posso me estender numa explicação do que não conheço. Pedimos à Polícia Federal que investigasse o comportamento da alfândega americana por ter deixado sair aquele tipo de produto dos Estados Unidos e investigasse a exportadora porque remeia um produto que é de exportação proibida, que não serve para o negócio do meu cliente", garantiu.

O advogado salientou mais de uma vez durante a entrevista coletiva que concedeu após o depoimento de Altair na Polícia Federal que a realidade dos tecidos encontrados nos contêineres é diferente daquela dos tecidos que estão nos galpões da Império do Forro de Bolso. "Esse cenário de Suape não foi a mercadoria que ele encomendou. Se veio criminosamente ou por engano, quem tem que explicar é o exportador e a alfândega americana. Com relação ao que foi apreendido pela polícia, é outro cenário. Podia vir nome de hospital, nome das Forças Armadas, podia vir Mickey Mouse, Cinderela... Isso aí é o seguinte: grandes corporações, quando encomendam (as peças), já pedem que venham com a impressão da sua logomarca. Depois, no controle de fábrica, se a impressão da logomarca mancha, se no processo fabril, rasga, ou se no processo de tecelagem sai algum defeito no tecido, esse produto não vai ser entregue. Esse produto de segunda linha vai ser vendido para insumo de outra coisa como, por exemplo, forro de bolsos, que é a indústria da Na Intimidade (nome verdadeiro da Império do Forro de Bolso)", detalhou.

Guilherme disse que o envio dos tecidos contaminados para os Estados Unidos não depende apenas da vontade da empresa, mas de "vias diplomáticas". O advogado disse ainda que seu cliente estava escondido até agora por medo da reação das pessoas na cidade. Ele afirmou que Altair está sob efeito de medicamentos, que os filhos dele não têm ido à escola pois estão sendo vítima de bullyng e que a esposa do empresário está em tratamento domiciliar.

GOVERNADOR - O advogado de Altair Teixeira rebateu as declarações do governador Eduardo Campos que, na terça-feira (18), disse que iria "botar as coisas no seu devido lugar, separar o joio do trigo. Separar quem foi bandido e quem é empreendedor sério". "Acho que dificilmente o governador tenha se referido a Altair Teixeira de Moura como bandido porque o governador é um homem experiente, prudente. Não se anteciparia à polícia. Ele não é polícia. Mas, realmente, a gente tem que separar o joio do trigo. Há que se encontrar quem é o bandido nessa história. Certamente ele não vai ser encontrado aqui".

Movpaz - Santa Cruz integra-se ao movimento “Eu uso”

Ao se deparar com a situação que está envolvendo a população santacruzense, em relação ao caso do lixo hospitalar reaproveitado para venda, o MovPaz Santa Cruz demonstra-se solidário aos produtores e comerciantes da cidade. Este é um momento de unir forças em defesa deste patrimônio do estado de Pernambuco, valorizando a capacidade produtiva e empreendedora da nossa população que vem engrandecendo a nossa região e o nosso estado devido aos esforços do povo trabalhador desta terra.

Muita paz para todos. Melhores dias virão.

Comprador de tecido que pode ser lixo hospitalar depõe na PF em Caruaru

A Polícia Federal ouviu na tarde desta quarta-feira (19), em Caruaru, Agreste do Estado, o dono da empresa que importou dos Estados Unidos tecido suspeito de ser lixo hospitalar. O depoimento de Altair Teixeira de Moura teve duração de quase três horas.

O empresário não quis falar com a imprensa, mas o advogado dele, Gilberto Lima, disse que o seu cliente seria vítima da companhia exportadora. As peças teriam sido compradas pela empresa de Altair de Moura para serem aproveitadas na fabricação de forros de bolso.

O delegado Humberto Freire explicou que Altair de Moura é, até o momento, considerado pela Polícia Federal apenas um investigado.

No Recife, o secretário de Defesa Social de Pernambuco, Wilson Damázio, disse que o FBI já se dispôs a colaborar nas investigações sobre o lixo hospitalar que entrou de forma ilegal no Brasil.

E a Polícia Civil interditou nesta quarta-feira uma loja no centro de Santa Cruz do Capibaribe, em cumprimento a uma ordem judicial. Os agentes encontraram tecidos com caracteres em idioma estrangeiro.

Em Goiana, na Zona da Mata do Estado, o Hospital Regional Belarmino Correia foi flagrado por uma equipe de TV usando lençóis que teriam sido reaproveitados de hospitais dos Estados Unidos. A direção do hospital informou que os lençóis estão em uso há mais de quatro anos.

Homem é assassinado a pedradas em Caruaru

A polícia registrou um homicídio na manhã desta quinta-feira (20), em Caruaru, Agreste pernambucano. O corpo de um homem foi localizado em um córrego, por trás do Campus da Asces, Bairro Universitário.

A vítima, ainda não identificada, foi morta a pedradas. De acordo com informações do repórter Adielson Galvão, da Rádio Liberdade AM, o homem era conhecido como “João Jibóia”.

O corpo foi encaminhado ao IML.

Sebrae vai realizar pesquisa no Polo de Confecções do Agreste

O Polo de Confecções passa por um momento delicado diante das denuncias de que lençóis e jalecos de hospitais norte-americanos estariam sendo utilizados por empresas de Caruaru, Toritama e Santa Cruz do Capibaribe na fabricação de foro de bolso. Apesar do crescimento do segmento têxtil no Agreste pernambucano, a ultima pesquisa feita pelo Sebrae data de fevereiro de 2003.

Ou seja, os dados estão defasados há quase nove anos. De acordo com o gestor do projeto de confecções do Sebrae, Mário Cesar, um problema de ordem administrativa impedia a realização da pesquisa. “Diversas vezes tentamos negociar com os fornecedores, mas está previsto uma nova pesquisa prevista para o ano de 2012”, informou.

Segundo Mario César existe alguns impasses que dificultaram o processo de uma nova pesquisa entre eles o problema de licitação, a definição dos técnicos, elaboração de questionários, o trabalho de campo, a tubulação da pesquisa entre outros. Atualmente estima-se que 11 cidades que compõem o Polo Têxtil do Agreste.

CBN Debate- Alcymar Monteiro

O cantor Alcymar Monteiro participou do CBN Debate do dia 19 de outubro. Ele falou sobre o projeto de se candidatar a prefeito da cidade de Juazeiro do Norte (CE).




Futuro de comerciante está nas mãos da Justiça

O futuro de Altair Teixeira de Moura, 46 anos, dono da empresa Império do Forro de Bolso, em Santa Cruz do Capibaribe, está nas mãos da Justiça. É a 3ª Vara Criminal de Caruaru que vai decidir se as investigações ficarão a cargo da Polícia Civil ou da Federal. O delegado Erick Lessa, da 14ª Regional disse ter pedido à Justiça as "medidas necessárias", sem detalhar, no entanto, o que isso representa.

Ao ser indagado se, entre as medidas solicitadas está a prisão preventiva do empresário, o delegado se esquivou. "Todos os pedidos foram encaminhados à Justiça de Pernambuco", resumiu. A decisão deve sair até esta quinta-feira (20).

A Polícia Civil já ouviu quatro funcionários dos galpões, uma prima de Altair e a esposa dele, Maria Neide Teixeira, que representa o filho do casal na sociedade, pois o garoto é menor de idade.

Em depoimento, os funcionários admitiram não utilizar equipamentos de proteção individual, como luvas.

Altair prestou depoimento na 2ª Delegacia de Polícia de Caruaru até o início da noite. Ele despistou a imprensa e saiu pela garagem da unidade. Mais cedo, ele prestou depoimento na Polícia Federal.

Em diligências nas cidades de Santa Cruz do Capibaribe, Toritama e Caruaru, a Polícia Civil encontrou nesta quarta-feira (19) tecidos com inscrições de hospitais, mas não detalhou os nomes das lojas onde o material foi visto.

O inquérito da PF foi aberto na terça-feira (18), no Recife. De acordo com informações da Polícia Federal, ele está sendo tratado como investigado e entregou voluntariamente o seu passaporte.

Em entrevista mais cedo, o advogado de Altair, Guilherme Lima, afirmou a inocência de seu cliente e o colocou como "vítima" da empresa de exportação nos Estadados Unidos, identificada como Texport Inc, de quem compra desde o início das atividades da empresa, em 2009. O advogado garantiu que o lixo hospitalar encontrado em dois contêiners na semana passada vieram "por engano". "Foi constatado pelo importador que aquele lixo hospitalar não foi comprado por ele. Aquilo não é dele. Na verdade, ele fez uma encomenda à empresa exportadora de tecidos novos. Aquilo que se encontra dentro dos contêineres, ou foi engano ou alguma outra coisa. (Mas) não posso me estender numa explicação do que não conheço. Pedimos à Polícia Federal que investigasse o comportamento da alfândega americana por ter deixado sair aquele tipo de produto dos Estados Unidos e investigasse a exportadora porque remeia um produto que é de exportação proibida, que não serve para o negócio do meu cliente", garantiu.

O advogado salientou mais de uma vez durante a entrevista coletiva que concedeu após o depoimento de Altair na Polícia Federal que a realidade dos tecidos encontrados nos contêineres é diferente daquela dos tecidos que estão nos galpões da Império do Forro de Bolso. "Esse cenário de Suape não foi a mercadoria que ele encomendou. Se veio criminosamente ou por engano, quem tem que explicar é o exportador e a alfândega americana. Com relação ao que foi apreendido pela polícia, é outro cenário. Podia vir nome de hospital, nome das Forças Armadas, podia vir Mickey Mouse, Cinderela... Isso aí é o seguinte: grandes corporações, quando encomendam (as peças), já pedem que venham com a impressão da sua logomarca. Depois, no controle de fábrica, se a impressão da logomarca mancha, se no processo fabril, rasga, ou se no processo de tecelagem sai algum defeito no tecido, esse produto não vai ser entregue. Esse produto de segunda linha vai ser vendido para insumo de outra coisa como, por exemplo, forro de bolsos, que é a indústria da Na Intimidade (nome verdadeiro da Império do Forro de Bolso)", detalhou.

Guilherme disse que o envio dos tecidos contaminados para os Estados Unidos não depende apenas da vontade da empresa, mas de "vias diplomáticas". O advogado disse ainda que seu cliente estava escondido até agora por medo da reação das pessoas na cidade. Ele afirmou que Altair está sob efeito de medicamentos, que os filhos dele não têm ido à escola pois estão sendo vítima de bullyng e que a esposa do empresário está em tratamento domiciliar.

GOVERNADOR - O advogado de Altair Teixeira rebateu as declarações do governador Eduardo Campos que, na terça-feira (18), disse que iria "botar as coisas no seu devido lugar, separar o joio do trigo. Separar quem foi bandido e quem é empreendedor sério". "Acho que dificilmente o governador tenha se referido a Altair Teixeira de Moura como bandido porque o governador é um homem experiente, prudente. Não se anteciparia à polícia. Ele não é polícia. Mas, realmente, a gente tem que separar o joio do trigo. Há que se encontrar quem é o bandido nessa história. Certamente ele não vai ser encontrado aqui".

Prefeitura de Afogados nega improbidade administrativa

Até o presente momento, o Governo Municipal de Afogados da Ingazeira não recebeu nenhuma notificação quanto a matéria divulgada sobre o ato de improbidade administrativa em relação à instalação de uma agência do Procon no município. Motivo este que não é suficiente para qualquer ação civil. O povo conhece e reconhece o trabalho, a transparência e a seriedade da gestão pública do prefeito Totonho Valadares. Estamos à disposição para quaisquer esclarecimentos.

Atenciosamente”,

Governo Municipal de Afogados da Ingazeira
Assessoria de Comunicação

AGENDA DO GOVERNADOR

Agenda do governador Eduardo Campos.Nesta Quinta-feira, 20.10.11

O governador Eduardo Campos faz a entrega, a partir das 9h desta quinta-feira (16), no bairro da Imbiribeira, no Recife, das primeiras 60 moradias do conjunto habitacional que está sendo construído nas comunidades Dancing Days e Sítio Grande. Na ocasião, o Governador assina a ordem de serviço para a construção de outras 128 habitações. As obras fazem parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), com investimentos de R$ 25.5 milhões, dos governos federal e estadual. A partir das 12h, no Enotel, em Porto de Galinhas, no município de Ipojuca, Eduardo Campos assina o protocolo de intenções para a construção do quarto estaleiro do Complexo Industrial Portuário de Suape. O evento ocorre durante a feira Pernambuco Petroleum Business. O estaleiro será implantado pela empresa italiana Navalmare, que investirá R$ 250 milhões, com a geração de 800 empregos. Encerrando a agenda, o Governador participa, a partir das 19h, no hotel Summerville, em Porto de Galinhas, do Congresso Estadual de Magistrados. Durante o encontro, Eduardo Campos apresenta uma palestra sobre o Desenvolvimento Econômico de Pernambuco.

Estudantes de Escola Pública Estadual de Santa Cruz do Capibaribe querem apoio para realizar protesto em defesa do Polo de Confecções

Os estudantes Elton Queiroz e Renata Felix, do 3º ano do Ensino Médio da Escola Estadual Maria do Socorro, em Santa Cruz do Capibaribe, procuraram a CDL Santa Cruz do Capibaribe na tarde desta quarta-feira (19), para buscar apoio a uma mobilização que eles estão viabilizando nas escolas do município, na realização de um protesto em defesa do Polo Têxtil de Pernambuco. “Nós estudantes quando queremos a gente consegue. E vendo este fato tão negativo para o Polo Têxtil, não queremos ficar de fora. Viemos aqui pedir o apoio da CDL para a nossa mobilização. Queremos vestir a camisa e irmos a luta em defesa da nossa economia”, disse a estudante Renata Felix. Já o estudante Elton Queiroz enfatizou a importância da cidade para todo Polo Têxtil e disse que já está articulando e mobilizando a sua escola para o protesto. “Nós queremos consolidar essa ideia brilhante que o empresário da Rota do Mar teve, em confeccionar a camisa e levar para o governador. Já estamos integrando as redes sociais, mas queremos nos unir em prol de um objetivo maior que é consolidar a campanha”, relatou o estudante.

“Não podemos permitir que apenas uma empresa manche a reputação de Santa Cruz do Capibaribe e de toda região”, concluíram os estudantes.

A irresponsabilidade de um, não pode condenar o suor sagrado de todos

Entre os dias 12/10/2011 e 13/10/2011, duas notícias “explosivas” ganharam o noticiário nacional. Uma delas aconteceu no Centro do Rio de Janeiro, quando um restaurante explodiu, deixando pelo menos três mortos e vários feridos. A outra notícia “explosiva” aconteceu – quase que simultaneamente – no porto de Suape-PE, onde foram apreendidos contêineres com lixo hospitalar dos USA, importados por um empresário cearense, cuja sede da empresa fica no polo de confecção do agreste pernambucano há 2 anos.
As imagens, tanto da explosão do restaurante, quanto do lixo hospitalar são assustadoras. Contudo, o que tem assustado a população do agreste pernambucano tem sido a forma generalizada como alguns estão tratando o caso. Milhares de trabalhadores, comerciantes, industriais e empreendedores estão sendo jogados na vala comum. Essa generalização deixa a impressão de que todos os produtores de confecção do polo pernambucano utilizam tecidos de lixo hospitalar na produção de roupas. O que não é verdade.

Com meio século de existência, a atividade confeccionista iniciada em Santa Cruz do Capibaribe e hoje espalhada por todo o agreste pernambucano, é ao mesmo tempo uma atividade cultural e econômica. É uma das mais exitosas experiências de desenvolvimento regional baseada no empreendedorismo. Porém, nada disso é capaz de impedir que empresários de outros estados venham para o agreste pernambucano manchar a imagem do polo com práticas criminosas.

O polo de confecção pernambucano é estruturado na micro e pequena empresa familiar. Tais empresas geram milhares de empregos, que por sua vez sustentam milhares de famílias em dezenas de cidades dos estados de Pernambuco e da Paraíba. É uma das atividades que mais e melhor gera emprego e distribui renda no nordeste brasileiro. Muito do que falo aqui pode ser comprovado na evolução do IDH das cidades que compõem o polo de confecção do agreste pernambucano.

Fazendo uma analogia com a explosão do restaurante no Centro do Rio de Janeiro, uma pergunta surge: será que porque um restaurante explodiu no Centro do Rio, todo restaurante no Centro do Rio de Janeiro pode ser considerado uma bomba relógio? Claro que não.

Da mesma forma que a prática irresponsável e criminosa de um único importador, não pode jamais condenar décadas de suor sagrado e limpo de milhares de trabalhadores e empreendedores de Santa Cruz do Capibaribe e do agreste pernambucano. A situação é muito séria e precisa ser tratada com mais seriedade ainda.

Espero que tais fatos sejam apurados com justiça, que cada grama do tecido possa ser identificado e retirado do mercado urgentemente. Mas espero principalmente, que os culpados – aqui e nos USA – sejam punidos de maneira exemplar.

Ao governo de Pernambuco, solicito a criação e coordenação de um comitê gestor para tratar desta crise, no sentido de zelar em primeiro lugar pela saúde das pessoas; e zelar também pela saúde empreendedora do polo de confecção, que é responsável por milhares de postos de trabalho no agreste pernambucano.

Valendo aqui a redundância: o dolo de um não pode nunca expor a saúde das pessoas e o meio ambiente a tal perigo, tampouco pode condenar a boa fé de milhares de trabalhadores que geram, de maneira honesta, o sustento de suas famílias através do polo de confecção de Pernambuco.

Bruno Bezerra
Diretor de desenvolvimento e empreendedorismo
da CDL de Santa Cruz do Capibaribe-PE.
Twitter: @brunobezerra

Shareaholic