terça-feira, 11 de outubro de 2011

Paraná confirma segundo caso de dengue tipo 4

A Secretaria da Saúde do Paraná confirmou o segundo caso de dengue tipo 4 no estado. O paciente mora em Santa Tereza do Oeste e esteve no Pará (Região Norte), entre os dias 12 e 28 de agosto. De acordo com o superintendente de Vigilância em Saúde, Sezifredo Paz, após apresentar sintomas característicos da doença, o paciente procurou o serviço de saúde e o diagnóstico foi confirmado. O caso, divulgado na noite de ontem (10), é considerado importado, pois o contágio ocorreu fora do estado. A secretaria investiga ainda outro caso de dengue tipo 4, que está em fase de exame laboratorial.

O boletim informativo da dengue no Paraná foi reestruturado e, desde agosto, analisa os dados epidemiológicos a partir da 31ª semana do ano até a 30ª do ano seguinte (julho de 2012). De acordo com o superintendente, a ideia é ter uma noção clara da curva epidêmica da doença. De agosto até agora, a secretaria confirmou 30 casos de dengue no Paraná. Desse total, 27 foram autóctones – cuja infecção ocorreu dentro do estado – e três, importados.

De agosto de 2010 a julho de 2011, foram notificados 65.649 casos e confirmados 29 mil, sendo 28 mil autóctones. Quatorze pessoas morreram devido a complicações da doença. O Paraná vem apresentando redução nos casos autóctones de dengue. No primeiro semestre deste ano, foi registrada uma queda de 21% em relação ao mesmo período do ano passado. Neste ano, a secretaria confirmou 25,7 mil casos autóctones, enquanto nos seis primeiros meses de 2010 o número chegou a 32,5 mil casos.

Segundo Paz, isso mostra que o Plano Emergencial de Controle da Dengue, lançado em janeiro deste ano, têm cumprido o objetivo. “Mas o combate à dengue deve continuar, o monitoramento será constante e a população não deve deixar que o mosquito se prolifere”, ressalta o superintendente.

O superintendente disse que a principal preocupação é com a introdução de mais um tipo do micro-organismo na população, que já tenha sido exposta aos outros tipos – 1, 2 e 3. Cada vez que uma pessoa tem contato com um tipo do vírus, não pode mais ser infectado por ele, ou seja, pode ter dengue no máximo quatro vezes (de tipos diferentes). Mas, segundo ele, clinicamente os sintomas dos quatro sorotipos são iguais.

Termina sem acordo encontro entre Correios e grevistas no TST

Terminou sem qualquer acordo o encontro informal entre representantes dos Correios e da Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios, Telégrafos e Similares (Fentect), ocorrido nesta segunda-feira (10) no Tribunal Superior do Trabalho (TST), em Brasília.

A reunião era uma última tentativa de acordo antes da votação do dissídio da categoria, marcada para esta terça-feira.

Ao final da reunião, o secretário-geral da Fentect, José Rivaldo da Silva, disse que a proposta já foi rejeitada em assembleia na semana passada e que não vai haver nova consulta aos trabalhadores nesta terça-feira para tentar impedir o julgamento do dissídio.

A reunião foi intermediada pelo ministro Mauricio Godinho Delgado, relator do dissídio. Na semana passada, os funcionários dos Correios rejeitaram a proposta de acordo para pôr fim à greve, que teve início no dia 14 de setembro.

Na sexta-feira (7), o presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), João Oreste Dalazen, determinou a abertura de dissídio coletivo após a audiência de conciliação terminar sem acordo.

O impasse está no desconto dos dias parados, que os Correios não abrem mão e os trabalhadores não aceitam, e também no índice de reajuste oferecido. A empresa quer descontar seis dias parados dos salários dos grevistas em 12 parcelas mensais a partir de janeiro, mas a proposta foi rejeitada.

A direção dos Correios informou ao ministro que aceita a proposta feita por Dalazen na sexta-feira, que inclui o pagamento imediato de abono de R$ 800 e aumento real de R$ 60 a ser pago no dia 1º de janeiro de 2012. Os trabalhadores receberiam também reajuste de 6,87% retroativo a 1º de agosto.

"Como não houve acordo, já que a representação sindical não aceitou os termos da proposta, o dissídio será julgado amanhã (11) pelo TST", reforçou, em nota, a ECT.

O prazo final para que a Fentect dê uma resposta vence às 14h desta terça-feira. Se não houver acordo, o dissídio começa a ser julgado às 16h.

José Augusto Maia rebate Diogo Moraes e diz: Diogo falar mal da administração de Toinho do Pará é cuspir no prato que ainda está comendo

O deputado federal José Augusto Maia (PTB-PE) comentou declarações dadas pelo deputado estadual Diogo Moraes (PSB-PE), em resposta a palavras do senador Armando Monteiro Neto, que disse estranhar a união PSDB-PSB em Santa Cruz do Capibaribe com vistas ao pleito de 2012.

Diogo atacou o prefeito de Santa Cruz do Capibaribe, Toinho do Pará (PTB), ao justificar sua adesão ao esquema político liderado pelo deputado estadual Edson Vieira (PSDB-PE). O deputado estadual afirmou que a cidade precisa de um novo projeto político, já que para ele, o atual prefeito tem feito uma administração desastrosa.

Segundo José Augusto Maia, Diogo Moraes esqueceu que ele mesmo, aprovou e aproveitou-se desta Administração, que ele taxa agora de desastrosa, até poucos dias atrás. “Diogo foi beneficiado pelo prefeito em todos os setores da gestão municipal, ele nunca teve motivos para reclamar de nada, pois usou dos benefícios da máquina pública para eleger-se deputado estadual em 2010”, disse ele.

“Ele ainda mantém a frente da Secretaria de Ação Social uma aliada sua, além de vários outros cargos de primeiro e segundo escalão, ou seja, ainda usa e se lambuza daquilo que ele diz fazer mal à sua cidade. Diogo fala uma coisa para a imprensa e na realidade pratica outra totalmente diferente”, falou José Augusto Maia, que completou, “isto é cuspir no prato que ainda está comendo”.

Apoio dos vereadores – em nota, os vereadores situacionistas de Santa Cruz do Capibaribe, Deomedes Brito, Dr. Nanau, Ernesto Maia, Fernando Aragão e Galego de Mourinha, saíram em defesa do deputado federal José Augusto Maia.

“Na realidade, o que o Diogo planeja com esta aliança é juntar-se a todos os poderosos da cidade, para tentar, como sempre, derrubar o mais respeitado e aprovado prefeito da historia política de Santa Cruz do Capibaribe - o atual deputado federal, José Augusto Maia, que com o apoio do grupo “Taboquinha” se tornou um verdadeiro campeão de votos ao longo dos últimos anos”.

Shareaholic