domingo, 11 de julho de 2010

Seleção das Almas Sebosas!!!!

Foto de" jesus" é publicada revista playboy


Playboy portuguesa publicou a imagem de "jesus" em homenagem a José Saramago, ateu que morreu em junho

A edição de julho da revista Playboy de Portugal promete criar polêmica. Diferente das tradicionais capas, a revista masculina portuguesa escolheu como destaque o escritor falecido José Saramago. E mais: estampou a imagem de Jesus Cristo ao lado de uma modelo nua.
A capa faz uma alusão ao livro 'O evangelho seguindo Jesus Cristo', de Saramago. Na época de sua publicação, o livro estremeceu a relação do escritor com a Igreja Católica, pela abordagem literária de temas bíblicos.

A revista traz ainda uma entrevista com o escritor, considerado um dos maiores nomes da literatura portuguesa, morto no final de junho nas Ilhas Canárias.

Embora seja um dos países mais avançados em questões tabus na atualidade - o país aprovou a legislação que permite o aborto e já sinaliza para a liberação do casamento de pessoas do mesmo sexo -, Portugal possui forte tradição católica. As informações de Correio 24 horas

A falta de respeito parece ter atingido o ápice na Revista Playboy. A edição portuguesa para homenagear um homem longe de ser unanimidade é uma afronta a fé cristã. Mas isso não é de se estranhar ou ficar escandalizado – os verdadeiros cristãos não devem se importar com isso, porque a tendência, neste mundo que vivemos, é que seja daí para pior. A fé cristã deve ser fortalecida a cada dia e não abalada por ações tão ridículas como esta da Playboy portuguesa.

Fonte de pesquisa Manoel Augusto

Náutico e Santa Cruz empatam no Clássico das Emoções: 1 x 1

Acabou em empate o Clássico das Emoções na tarde deste sábado (10). A partida válida pelo Campeonato do Nordeste acabou em 1 x 1, com os dois gols marcados nos últimos instantes do primeiro tempo. Com o resultado, o Náutico troca o 5º lugar na tabela pelo 3º, com 15 pontos. Já o Santa Cruz fica em 8º, com 12 pontos.

O jogo parecia equilibrado no primeiro tempo. Aos oito minutos, um lance perigoso para o Santa Cruz. Anderson Paim fez um cruzamento sob medida para Tiago Lima, que mandou de cabeça na trave de Tutti. Bola rolando há quase meia hora, Elvis comandou uma boa jogada para o Santa Cruz, mas foi cortado por Rodrigo Carvalho.

Quem abriu o placar foi o Náutico, aos 44” do primeiro tempo. Dinda lançou para a área e Erivelton pulou mais alto, marcando de cabeça. A resposta do Santa Cruz não tardou: apenas um minuto depois, Darci tocou para Evandro, que chutou e empatou o jogo. Placar final: 1 x 1. Equilíbrio comprovado.

No segundo tempo, Gilberto Matuto entrou no lugar de Julio Cesar. No Náutico, Dinda cede o lugar pra Thiaguinho. E os ânimos pareciam mais acirrados, com uma enxurrada de faltas e cartões. Dedé levou um cartão amarelo por cobrar antes do árbitro autorizar. Evandro amargou a mesma penalidade ao agarrar Tiago Marim pela camisa. O goleiro Tutti ficou no chão após uma defesa e recebeu atendimento médico. Gilberto Matuto puxou um jogador do Náutico, falta.

Mais substituições: saiu Élvis, entrou Joelson no Santa Cruz. Tinga foi substituído pelo voltante Marcelo. Tiago Marim foi substituído por Wallace. E mais cartões: dessa vez, vermelho, para Diego Bispo do Náutico e Menezes, do Santa Cruz. Menezes, aliás, quase marcou um gol contra. Mas o jogo acabou com o placar do primeiro tempo, 1 x 1.

O público definitivamente não foi compatível com um clássico: apenas 2.238 pessoas assistiram ao jogo, gerando uma renda de R$ 21.580.

Fonte: pe360graus.com.br

Tarado preso em Caruaru.

Foi preso pela Policia milita o serviço gerais Flavio Lucio Cabral de 18 anos de idade no Loteamento Paraíso Bairro das Rendeiras COHAB III em caruaru o mesmo tentou estuprar uma garota de 07 anos de idade que era vizinha o mesmo tentou penetra pelo anos da garota.Populares tentaram lixar o tarado mas a policia chegou antes que acontecer algo contra Ele A garota foi submetida a exames sexológicos e comprovou ferimentos no anos da garota o Flavio já foi conduzido para o presídio Juiz Plácido de Souza e vai responder por estupro...Fonte: Adielson Galvão. Fotos e Materia

Espanha é campeã da Copa pela 1ª vez

Um título que nunca havia sido conquistado jamais viria facilmente. Ainda mais para uma seleção que sempre teve a fama de fracassar na hora H. Amarelona? Não. Sua cor é vermelha. E o título finalmente veio. Para a torcida da Espanha, pareceu que nunca viria. Noventa minutos que viraram 120. Ou melhor, 115, quando Iniesta estufou a rede e tirou da garganta um grito entalado há uma eternidade. Uma conquista com direito a 0 a 0 no tempo normal, 1 a 0 sobre a Holanda na prorrogação, desabafos, choro... A primeira Copa do Mundo na África viu nascer o oitavo campeão da história. A partir deste domingo, a Espanha pode colocar uma estrela no peito e exibir para o planeta que amarela é a cor da taça na mão dos seus jogadores.

A história dessa nova campeã mundial não começou no Soccer City. No início tinha outro técnico, Luis Aragonés, e quase os mesmos jogadores. O time vencedor da Eurocopa de 2008 transformou a Espanha na seleção a ser batida. O treinador mudou, entrou Vicente del Bosque, e voltou a decepção: fracasso na Copa das Confederações, derrota na estreia do Mundial contra a Suíça. Mas o time que melhor toca a bola no planeta deu a volta por cima. E termina 2010 no topo.

As duas equipes começaram o jogo com as formações que venceram na semifinal. Assim, Fernando Torres continuou no banco da Espanha, e Pedro foi titular no ataque. E o artilheiro David Villa ficou preso entre os zagueiros, com pouca mobilidade. A Laranja contou com sua força máxima, do 1 a 11, com as estrelas Sneijder e Robben presentes.

A Fúria conseguiu ter mais posse de bola, do jeito que gosta, durante os primeiros 90 minutos: 57%. Mas não conseguiu marcar nos 12 chutes que teve, enquanto a Laranja tentou nove. Pela primeira vez desde 1994, quando o Brasil bateu a Itália nos pênaltis, a final terminou com 0 a 0 e foi para a prorrogação. Com o Soccer City lotado pela segunda vez no Mundial (84.490 torcedores, mesmo público da partida de abertura), Espanha e Holanda fizeram a final com o maior número de cartões amarelos da história: 13. Ainda teve um vermelho para Heitinga, na prorrogação.

Cinco cartões amarelos e poucas chances

Quem esperava o futebol arte se decepcionou nos primeiros 45 minutos. Sabe aquela Espanha que toca bem a bola e a Holanda fatal nos contra-ataques? Não entraram em campo. As duas seleções deram vez a uma faceta mais violenta, que ainda não haviam mostrado na Copa: foram cinco cartões amarelos, sendo que pelo menos um merecia a expulsão - Heitinga deu uma voadora no peito de Xabi Alonso.

A Fúria chegou à partida com 81% de aproveitamento em passes certos. Mas no primeiro tempo teve 75%, errando toques bobos. A Laranja foi bem pior: 55% de acerto. A primeira boa jogada foi espanhola. Sempre perigoso nas cobranças de falta, Xavi cobrou uma na cabeça de Sergio Ramos, que, da marca do pênalti, obrigou Stekelenburg a fazer grande defesa, aos quatro minutos. Aos sete, a Holanda deu o primeiro chute a gol com Kuyt, de fora da área, nas mãos de Casillas.

Pela direita, a Fúria conseguia bons ataques e quase marcou um golaço aos dez: Iniesta achou Sergio Ramos, que entrou na área, pedalou para cima de Kuyt e bateu cruzado, mas Heitinga tirou perto da linha. Um minuto depois, em novo cruzamento da direita, David Villa pegou de primeira de canhota e acertou a rede por fora, fazendo alguns torcedores até comemorarem.

O primeiro cartão amarelo foi para Van Persie, que deu um carrinho em Capdevila. Logo em seguida, Puyol fez falta violenta em Robben e também recebeu o cartão. Aos 22, foi a vez de Van Bommel ser advertido por acertar Iniesta. Mais um minuto, outro amarelo: Sergio Ramos, por levar Kuyt ao chão. O árbitro inglês Howard Webb ainda amarelou De Jong, que foi com as travas da chuteira no peito de Xabi Alonso, quando o holandês merecia um vermelho.

Aos 34 minutos, um lance inusitado quase resultou em gol para a Holanda. Após o jogo parar para atendimento médico, Heitinga resolveu devolver a bola para Espanha e chutou, do seu campo, em direção a Casillas. A bola quicou na frente do goleiro, que teve que se esticar para tocar nela e colocar para escanteio.

O time de Bert van Marwijk passou a gostar mais do jogo e a procurar o ataque na segunda metade do primeiro tempo. De pé em pé, a bola chegou a Mathijsen na área, aos 36, mas o zagueiro furou feio e desperdiçou boa oportunidade. Aos 45, mais uma boa troca de passes e Robben, do bico direito da área, arriscou e acertou o cantinho esquerdo de Casillas, que conseguiu salvar.

Oportunidades claras não tiram o zero do placar

As equipes voltaram para o segundo tempo sem substituições. Com dois minutos, a Espanha tentou sua famosa jogada de escanteio, que faz sucesso no Barcelona e valeu até a vitória na semifinal sobre a Alemanha: Xavi cruzou, Puyol subiu e encostou de leve na bola, mas Capdevila furou na pequena área.

A Laranja apostou nos contra-ataques e chegou duas vezes perto de Casillas. Mas Xavi chegou ainda mais perto do gol: em cobrança de falta aos nove, a bola passou rente ao travessão. Na jogada, Van Bronckhorst recebeu o sexto cartão amarelo do jogo. Aos 11, mais um: David Villa puxou o contra-ataque e levou um carrinho de Heitinga. Webb nem marcou falta, mas depois parou a partida e puniu o holandês.

Aos 15, Vicente del Bosque fez a primeira substituição da partida, mexendo no ataque: tirou Pedro e pôs Navas. Mas quem entrou de verdade no jogo foi Sneijder. Até então sumido, o camisa 10 criou a melhor chance até então: aos 18, o craque acertou um lançamento perfeito para Robben entre dois zagueiros espanhóis. O atacante do Bayern de Munique invadiu a área, cara a cara com Casillas, e chutou, mas a bola bateu no pé do goleiro e foi para escanteio.

Para evitar mais perigo, a Fúria voltou a adotar a tática das faltas. E levou o oitavo amarelo do jogo: Capdevila, por parar o contra-ataque de Van Persie com carrinho. Aos 24, foi a vez de a Espanha desperdiçar a sua melhor oportunidade na final: Navas cruzou da direita rasteiro, Heitinga cortou mal, e a bola ficou com Villa, na pequena área, mas o chute bateu na zaga e foi para escanteio, por cima.

Aos poucos, a Espanha voltou a controlar o jogo. E a velha jogada de apelar para o cruzamento de Xavi voltou a ser utilizada: aos 31, o camisa 8 bateu cruzamento na cabeça de Sergio Ramos, que, livre e de cara para Stekelenburg, concluiu para fora. Um lance parecido ao gol de Puyol contra a Alemanha na semifinal. Robben igualou o placar de oportunidades claras ao ficar novamente sozinho diante de Casillas, aos 38 minutos, depois de ganhar de Puyol na corrida. O goleiro saiu bem e evitou o drible, e o holandês reclamou de forma acintosa de falta do zagueiro, recebendo o nono cartão amarelo do jogo. Com os ataques em um mau dia, os 90 minutos terminaram com 0 a 0.

Iniesta marca e vira o herói

A prorrogação começou com o mesmo panorama da segunda etapa, com gols sendo desperdiçados. Fabregas, que substituíra Xabi Alonso, recebeu ótimo passe de Iniesta e chutou para defesa salvadora de Stekelenburg com o pé. No lance seguinte, foi a vez da Holanda: Casillas saiu mal do gol em cobrança de escanteio, e Mathijsen não aproveitou, cabeceando para fora.

A Espanha chegava com mais frequência e mais perigo. Iniesta tentou um drible em vez de um chute e perdeu boa chance. Jesus Navas preferiu o caminho oposto e concluiu mesmo com Van Bronckhorst à sua frente. A bola bateu nele e na rede pelo lado de fora, arrancando um sorriso do goleiro Stekelenburg.

Os treinadores fizeram suas últimas substituições na tentativas de tirar o zero do placar. Bert van Marwijk pôs Van der Vaart e Braafheid nos lugares de De Jong e Van Bronckhorst, e Vicente del Bosque trocou o artilheiro Villa por Torres. O holandês ganhou um motivo para se preocupar quando o zagueiro Heitinga recebeu o cartão vermelho após falta em Iniesta.

O gol, que teimava em não sair, veio aos dez minutos do segundo tempo da prorrogação, na sequência de um escanteio para a Holanda não marcado pelo árbitro. Após jogada valente de Jesus Navas, que correu em direção ao ataque, Fabregas deu passe para Iniesta chutar cruzado e marcar. Casillas já chorava em campo mesmo antes do apito final, consciente de que fazia parte da história do futebol espanhol.

Fonte: G1

Rádio Liberdade e CDL Caruaru realizam segundo sorteio do Show de Prêmios

A Rádio Liberdade e a CDL Caruaru realizaram neste sábado (10), no Marco Zero, o segundo sorteio da campanha Show de Prêmios. Foram sorteados 23 prêmios, entre eles, uma moto e um carro.

Cerca de 3 milhões de cupons foram entregues durante a campanha. Participaram consumidores que efetuaram compras a partir de 20 reais.

O primeiro sorteio foi realizado no dia dos namorados, 12 de junho, no Parque de Eventos Luiz Gonzaga, quando foram sorteados 22 prêmios.

A campanha Show de Prêmios – 45 prêmios – para comemorar os 45 anos da Rádio Liberdade AM e CDL Caruaru, teve o apoio das CDLs de Belo Jardim e Santa Cruz do Capibaribe.

Lista dos ganhadores

MICRO SYSTEM

Marcelo F. dos Santos

Vila Padre Inácio

Caruaru

(Posto Kayká)

Patricia Maria Ferreira

Bairro Kennedy

Caruaru

(Ponto de Promoção)

David Simões Lacerda de Lima

Bairro São Francisco

Caruaru

(Seletros)

Ednaldo Ferreira Lopes

Bairro São José

Santa Cruz do Capibaribe

(Makital)

Jânio de Oliveira Silva

Petrópolis

Caruaru

FOGÃO 4 BOCAS

Sandra Lira

Bairro Maurício de Nassau

(Óticas Central)

Juliana Maria Leite

Centro

Ibirajuba

(Sapataria Muniz)

Joel Rodrigues Pereira

Bairro Petrópolis

Caruaru

(Sapataria Muniz)

Maria José Lopes de Araújo

Centro

Altinho

(Paraíso das Louças)

Jerônimo Salviano

Bairro Indianópolis

Caruaru

(Posto Cabral)

MICRO-ONDAS

Adelvan Florêncio Marins

Bairro Maurício de Nassau

Caruaru

(Bonanza)

Edmilton Queiroz de Souza

Boa Vista I

Caruaru

(Auto Posto Boa Vista)

Alexandre Sebastião dos Santos

Sítio Cavalo Morto

Belo Jardim

(Sapataria Muniz)

Jorlan Gueiros da Silva

Maurício de Nassau

Caruaru

(Parceria)

Severina Maria Oliveira de Lima

Salgado

Caruaru

(Farmácia do Trabalhador)

NOTEBOOK

Leônia Walquíria da Silva

Sítio Peladas

1º Distrito de Caruaru

(AMS)

Elton Bezerra Maia

Vila de Gonçalves Ferreira

Caruaru

Copimak

José Adriano F. de Azevedo

Vila Pão de Açúcar

Taquaritinga do Norte

(Cencomal)

TELEVISOR LCD 32”

Valdívia Alves Tiné

São Francisco

Caruaru

(Bonanza)

Maria Luciene Lacerda da Silva

Cohab I

Belo Jardim

(Bonanza)

Rosângela Ramos Alves

Divinópolis

Caruaru

(Microtecnos)

MOTO SUZUKI

David Manoel Torres

Cohab I

Belo Jardim

(ATM Magazine)

CELTA

Maria José da Conceição Brito

Salgado

Caruaru

(BONANZA)

Central de Jornalismo Liberdade

Helenivaldo Pereira/Elaine Dia

Em jogo de duas viradas, Alemanha bate Uruguai e fica em terceiro lugar

Com a chuva fina caindo em Porto Elizabeth e uma longa lista de conquistas no currículo, a Alemanha bem que podia ter entrado em campo disposta apenas a cumprir tabela neste sábado. Não foi bem assim. Do outro lado do campo, havia um Uruguai faminto pela vitória, e o que se viu na disputa do terceiro lugar foi um jogo de cinco gols e duas viradas. Com 3 a 2 e um travessão salvador aos 48 do segundo tempo, a Alemanha é a dona do bronze na África do Sul.

O meia Müller, que voltou após cumprir suspensão na semifinal, abriu o placar para os alemães, mas Cavani e Forlán viraram para o Uruguai. Jansen empatou de novo, e coube ao volante Khedira fazer o gol da vitória. O goleiro uruguaio Muslera, herói nas quartas de final contra Gana, falhou duas vezes. Forlán teve a chance de empatar o jogo no último lance, mas cobrou uma falta no travessão para, em seguida, ouvir o apito final do juiz. A partida terminou, e Klose continuava no banco, de agasalho. Sentindo dores nas costas, o atacante não entrou e manteve seus 14 gols em Copas, um a menos que o recorde de Ronaldo Fenômeno.

O resultado deste sábado no estádio Nelson Mandela Bay estica a fama do polvo Paul, que segue com aproveitamento de 100% nos palpites. Para a grande final deste domingo, às 15h30m, o molusco apostou na Espanha para derrotar a Holanda no Soccer City e se tornar a oitava seleção campeã na história dos Mundiais.

JOGO
Noite de sábado caindo, aquela chuvinha antes do jogo, disputa de terceiro lugar... apesar do cenário favorável para um jogo de compadres, a pinta de amistoso foi por terra logo aos cinco minutos, quando o alemão Aogo apresentou as travas da sua chuteira à canela de Perez. Cartão amarelo para abrir os trabalhos.

No lance seguinte, mais um, para o brasileiro Cacau, que desviou com a mão uma falta cobrada por Forlán. Apesar dos cartões, a Alemanha ensaiou seu gol aos nove. Özil bateu escanteio, e Friedrich cabeceou no travessão de Muslera, que ainda salvou a Celeste na sobra, ao defender a conclusão de Müller.

O meia e o goleiro, aliás, escreveriam mais um capítulo juntos dez minutos depois. Antes disso, no entanto, abram alas para uma bomba de Schweinsteiger. Aos 19, o camisa se viu sozinho no meio de campo e – por que não? – soltou o foguete de pé direito. Botou a Jabulani para voar a 117km/h e, aí sim, houve o tal reencontro: Muslera bateu roupa, e Müller, sozinho, pegou o rebote para abrir o placar. Enquanto os zagueiros levantavam os braços para pedir um impedimento que não existiu, a Alemanha festejava o 1 a 0.

Aí foi a vez de o Uruguai ensaiar seu gol. Aos 24, Forlán pegou uma sobra na área de cabeça, mas Mertesacker esticou a perna para tirar. Na cobrança do escanteio, Cavani desviou, e Friedrich tirou na pequena área.

Aos 28, não era mais preciso ensaiar. Pérez, o carrapato que durante toda a Copa torrou a paciência dos adversários, deu um bote em Schweinsteiger no meio de campo. Roubou-lhe a bola e, quase caindo, encontrou Suárez para puxar o contra-ataque. O passe para Cavani foi açucarado, e o atacante, na saída de Butt, balançou a rede: 1 a 1.

Com tudo igual em Porto Elizabeth, a chuva cuidou de esfriar o jogo. Só aos 41 o Uruguai teve outra chance, com Suárez sozinho na área chutando para fora. Estava de bom tamanho para o primeiro tempo.

No início da segunda etapa, voltou a fome de gols. E a virada sul-americana veio com estilo. Aos cinco, Arévalo Rios tabelou com Suárez pela direita e cruzou para Forlán, que emplacou um lindo voleio no canto de Butt. Golaço.

A festa celeste só durou seis minutos, porque aos 11 Muslera entregou de novo. O goleiro saiu catando borboleta no cruzamento de Boateng, e Jansen cabeceou para o gol vazio. Tudo igual outra vez, 2 a 2.

Klose continuava no banco, e de fato estava sem condições de jogo, porque o técnico Joachim Löw foi lançando outros jogadores em campo. Primeiro foi Kiessling, que substitui Cacau. Depois, Kroos entrou no lugar de Jansen. Por fim, Tasci na vaga de özil. Mas quem decidiu foi o volantão Khedira. Ele estava na hora certa e no lugar certo aos 37 minutos. Após o bate-rebate na área, cabeceou para o fundo da rede, sem chances para Muslera, e fez o gol da vitória alemã.

Kiessling podia ter ampliado para 4 a 2, mas perdeu um gol incrível, sozinho no meio da área, isolando a bola por cima do travessão. Oscar Tabárez, então, tentou sua última cartada ao lançar Loco Abreu no lugar de Cavani. Não deu certo. Quem teve a chance de ouro - ou de bronze - para empatar no último minuto foi Forlán. O camisa 10 cobrou falta aos 48, mas a Jabulani explodiu no travessão.

Era a senha para o mexicano Benito Archundia levar o apito à boca e dar o jogo por encerrado. Apesar da campanha surpreendente, os uruguaios não esconderam a decepção. Alguns chegaram a se ajoelhar em campo, frustrados. E viram passar, correndo, alemães eufóricos com o terceiro lugar.

Fonte: G1

Agenda do candidato a Senador da Frente Popular Armando Monteiro (PTB) neste domingo (11) e na segunda-feira (12)

No domingo (11) e Segunda-feira (12) o candidato ao Senado da Frente Popular, Armando Monteiro (PTB), terá reuniões com a equipe de campanha e despachos internos no Recife.

Armando lamenta tentativa de uso político-eleitoral das cheias

O deputado federal Armando Monteiro afirmou neste sábado (10) que a tragédia ocorrida em municípios da Zona da Mata Sul e Agreste de Pernambuco, em decorrência das cheias, deve ficar fora do debate eleitoral. “Ninguém pode querer politizar o sofrimento das famílias pernambucanas. Só uma pessoa movida por interesses menores agiria dessa maneira”, afirmou.

Armando lembrou que toda a sociedade reconhece o trabalho pró ativo e competente que o governo Eduardo Campos teve diante da calamidade. “Estive pessoalmente nas cidades atingidas. A despeito da situação grave que as pessoas enfrentam, pude constatar o quanto é forte a percepção da população sobre a resposta eficiente e solidária do governo na assistência às vítimas”, disse.

Ele lamentou a postura crítica de setores da oposição. “Essa questão deve ficar fora do debate político-eleitoral. Nenhum acontecimento dessa natureza escolhe cores ou partidos. O momento é de ter sensibilidade e grandeza para ajudar a reconstrução das áreas atingidas em Pernambuco”, declarou.

Shareaholic